Diesel, gasolina e gás de cozinha ficam mais caros nas distribuidoras, preço deve ser repassado ao consumidor

Foto: Juarez Machado/GES

A Petrobras afirma que os preços são baseados no mercado internacional e na taxa de câmbio; a mudança deixa o litro da gasolina nas distribuidoras em R$ 2,60

A partir desta terça-feira (02), o óleo diesel, a gasolina e o gás de cozinha vendidos nas refinarias estão mais caros. O anúncio foi feito pela Petrobras na segunda-feira (01), o reajuste é o 5º somente neste ano e acontece em meio à uma instabilidade na empresa.

Depois de que o Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) fez declarações sobre mudanças na empresa e decidiu por trocar o comanda da estatal, o Governo Federal estuda criar um fundo estatal para manter a arrecadação mesmo com reduções em impostos para combustíveis.

A medida está sendo analisada pelo Ministério da Economia e ganhou força nesta semana após o anúncio do presidente Jair Bolsonaro de zerar a alíquota do PIS/Cofins para o diesel, conforme publicação do Portal IG.

De acordo com fontes do Palácio do Planalto, o fundo estabilizador será usado em caso de medidas emergenciais para abaixar o preço dos combustíveis quando o dólar estiver alto e influenciar nos sucessivos aumentos no valor nas refinarias.

O óleo diesel está 5% mais caro, o que corresponde a R$ 0,13 por litro e a gasolina teve um aumento de 4,8%, acréscimo de R$ 0,12 por litro. Já o gás de cozinha vendido às distribuidoras teve um acréscimo de 5,2% e o quilo do produto fica R$ 0,15 mais caro.