Pesquisa indica que brasileiros seguem mais orientações do estado e menos do governo federal

Foto: Reprodução

Após casos de coronavírus em dezenas de países, o Brasil tem visto nas últimas semanas milhares de pessoas que contraíram a doença no país. O avanço da doença está acelerado, diante disso, o país tem se preparado para tentar formular ações de combate.

A Toluna, vem monitorando a percepção e o comportamento dos brasileiros em relação ao Covid-19 e divulgou os dados nesta sexta-feira (03). As pesquisas registraram até agora, cinco momentos da crise.

  • Antes da confirmação do primeiro caso no país
  • Após os primeiros diagnósticos brasileiros
  • Após decretação de pandemia pela OMS
  • Após centenas de mortes e o rápido crescimento no número de casos.

Preocupados: 

  • 40% na terceira pesquisa, e agora é de 46,6%.
  • 31% declararam estar muito preocupados, 
  • 17% se dizem preocupados, 
  • 4% pouco preocupados e menos de 1% dizem não estar preocupados 

Decisões do Governo:

  • 45% da população brasileira tem levado em consideração as decisões do governo Estadual
  • 14% das pessoas leva em consideração as decisões do governo federal
  • 36% seguem as recomendações de ambos os níveis
  •  5% não leva em consideração nenhum dos dois.

Medidas Gerais:

  • 80% dos entrevistadas acreditam que o Estado tomou medidas adequadas 
  • 54% da população preveem que o isolamento social acabará e a vida normal retornará em alguns meses. 
  • 72% lavam todas as coisas e itens que entram dentro de casa 
  • 56% estão adotando medidas de trabalho como o home office

Impactos na Vida e Economia:

  • 62% das pessoas se preocupam mais com os impactos na economia e na saúde pública do país
  • 82% dos pesquisados afirmaram que compraram algum item específico para se proteger contra contaminação
  • 70% das pessoas entrevistadas acreditam que o impacto do coronavírus sobre a economia mundial será muito negativo.
  • 27% preveem que o impacto será negativo, e menos de 1% acredita que não haverá impacto
  • 3% dos entrevistados opinou que o impacto será positivo ou muito positivo.

Entre os produtos mais citados para o momento estão o desinfetante para as mãos/álcool em gel (80,5%), sabonete (72%), desinfetante para ambiente (64%), máscara cirúrgica (53%) e luvas descartáveis (35,5%).