‘Somos vítimas de uma das mais brutais desinformações sobre a Amazônia e Pantanal’ diz Bolsonaro

Foto: Marcos Corrêa/PR

Em 75ª assembleia para ONU, o presidente Jair Bolsonaro diz que o Brasil é a melhor legislação ambiental do planeta

De janeiro ao dia 13 de setembro deste ano, o Pantanal teve mais de 2.916 milhões de hectares queimados, segundo a Instituição SOS Pantanal, isso é equivalente a 19% do bioma ou 19 cidades de São Paulo. Nos primeiros sete meses, o Rio Paraguai, principal rio do Pantanal atingiu o menor nível em quase cinco décadas e as chuvas são escassas.

Segundo levantamento do Ministério Publico de Mato Grosso do Sul, 40% da queimada do Pantanal ocorreu de forma criminosa. A Policia Federal apura envolvimento de cinco fazendas da Região de Curumbá, no Mato Grosso do Sul, no aumento criminoso das queimadas, que foram identificados através de satélites que indicaram focos de incêndio iniciado dentro das propriedades.

Já na Amazônia, vastas áreas foram destruídas pela queimada e desmatamento nos últimos anos, enfraquecendo o solo e a vegetação. Segundo dados divulgados pelo Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), a floresta aumento em 34% a taxa de desmatamento nos últimos doze meses, em comparação ao mesmo período do ano anterior.

Em dados divulgados também pelo Inpe em 1º de agosto, mostraram mais de 6.800 incêndios na região amazônica em Julho e mais de 10 mil incêndios foram registrados no inicio de agosto, um aumento de 17% em relação ao mesmo período de 2019.

Em meio as queimadas que devastam as florestas brasileira o presidente Jair Bolsonaro (sem partido), em discurso a Assembleia das nações unidas (ONU) nessa Terça-feira (22) declarou que o Brasil é vitima de “uma das mais brutais campanhas de desinformação sobre a Amazônia e o Pantanal”. Bolsonaro justificou que há interesses comerciais por trás das notícias sobre queimadas e desmatamentos e que os incêndios que atingem as florestas brasileiras são comuns nessa época do ano.

“A Amazônia brasileira é sabidamente riquíssima. Isso explica o apoio de instituições internacionais a essa campanha escorada em interesses escusos que se unem a associações brasileiras, aproveitadoras e impatrióticas, com o objetivo de prejudicar o governo e o próprio Brasil”, disse. “O Brasil desponta como o maior produtor mundial de alimentos. E, por isso, há tanto interesse em propagar desinformações sobre o nosso meio ambiente”, completou.

Em seu discurso, o presidente alega que os focos de incêndio criminosos são combatidos com rigor e determinação e afirma ter tolerância zero com crimes ambientais, relembrando a dificuldade em combater as atividades ilegais na Amazônia e ressaltou que juntamente com o congresso nacional, buscam a regularização fundiária, visando identificar os autores desses crimes.

O presidente destaca ainda que o Brasil possui a melhor legislação sobre o meio ambiente em todo mundo, acrescentando que o país respeita as regras de prevenção da natureza. A gestão ambiental do governo é um dos principais pontos criticados pela comunidade nacional.

A respeito do Pantanal, o presidente afirmou que as queimadas se dão pela alta temperatura e a quantidade de matéria orgânica no solo da região. E declara que a floresta amazônica é úmida, por isso, os incêndios acontecem apenas pelas bordas e é causado por caboclos e índios.

”Nossa floresta é úmida e não permite a propagação do fogo em seu interior, os incêndios acontecem praticamente nos mesmos lugares, no interior leste da floresta, onde caboclos e índios queimam seus roçados em busca de sua sobrevivência.”

*Com informações da Agência Brasil