Guarulhos não recebe respiradores do Governo do Estado e precisa recorrer a rede particular para resolver superlotação de UTIs

Foto: Divulgação/TCESP

Guarulhos vive uma situação difícil na rede pública de saúde, acontece que desde a semana passada os leitos de UTI estão superlotados na cidade. Mesmo com a construção do hospital de campanha no Cecap, a quantidade de leitos para Unidades de Tratamento Intensivo chegou ao colapso no município, atualmente a ocupação é completa, 100% de lotação.

O prefeito Guti anunciou que está viabilizando a locação desse tipo de leito na rede particular de saúde, que deve ser confirmada nesta semana. No início do mês de abril, a Prefeitura de Guarulhos solicitou 35 respiradores ao Governo do Estado, que realizou uma compra massiva deste equipamento advindo da China, porém até o momento o pedido não foi atendido.

A Secretaria Municipal de Saúde de Guarulhos está se mobilizando em paralelo para adquirir o equipamento, tão fundamental neste período crítico. Foi aberto um processo público de compra de 66 respiradores, o pregão eletrônico será realizado no próxima quinta-feira (04).

Os respiradores são fundamentais para o aumento de leitos de UTI na cidade. Para se ter uma ideia, com a aquisição de novos equipamentos, a Prefeitura espera aumentar em 50 o número de UTIs nos hospitais e unidades de saúde, como UPAs e PA que atendem as urgências no município.

O secretário municipal de Saúde, José Mario Clemente, falou sobre o assunto em entrevista concedida a Rede Globo no último sábado.

“Se o Governo do Estado enviasse os 35 solicitados, nossa compra seria menor. Mas como a vida não pode esperar, teremos de adquirir um lote maior e pagar o menor preço que vier a ser oferecido.”

A reportagem do Guarulhos Online entrou em contato com o Governo do Estado de São Paulo que alega estar dando todo suporte aos municípios para fortalecimento da rede assistencial com foco no atendimento a pacientes com COVID-19. E que foram enviados R$ 16,3 milhões para a cidade de Guarulhos.

Quanto aos respiradores, disse que a distribuição é feita para os locais com maior demanda de internações de casos da COVID-19. Porém os indicadores contrariam o critério divulgado, pois Guarulhos é a terceira cidade com mais casos do novo coronavírus no estado, ficando atrás somente da capital e Osasco (município que também não recebeu o equipamento).

A administração pública comunicou que novas remessas de respiradores serão entregues no decorrer de junho. Até o momento, a capital, Campinas e Piracicaba foram beneficiados com o recebimento dos equipamentos.

O Governo Estadual é responsável por 2 Hospitais no município, o Hospital Geral de Guarulhos (HGG) e Complexo Hospitalar Padre Bento.

No Padre Bento há 64 leitos exclusivos para casos da doença e todos estão em pleno funcionamento e à disposição da população. Já o HGG conta com 77 leitos para casos de COVID-19.

Segundo o prefeito Guti, o Governo Federal irá liberar recursos para criar mais 20 UTIs no Centro de Combate ao Coronavírus (3C-GRU), medida que pode ajudar a cidade no atendimento de urgências.

Plano São Paulo de reabertura da economia

O Governador João Doria apresentou na última quarta-feira (27) o Plano São Paulo para reabertura de setores da economia durante a quarentena de enfrentamento ao coronavírus. Desde a última segunda-feira (01), índices de ocupação hospitalar e de evolução de casos em 17 regiões do estado vão definir cinco níveis restritivos de retomada produtiva segundo critérios médicos e epidemiológicos para que o sistema de saúde continue em pleno funcionamento.

As fases são determinadas pelo acompanhamento semanal da média da taxa de ocupação de leitos de UTI exclusivas para pacientes contaminados pelo coronavírus e o número de novas internações no mesmo período.  Atualmente Guarulhos se encontra na fase vermelha (1ª fase) e só poderá passar para a fase laranja (fase 2), que permite a reabertura gradual de serviços, se os índices atuais de ocupação de leitos diminuírem.