Guti pede cautela com aglomerações em festas de réveillon e diz que para ele, não importa origem da vacina

Foto: Divulgação

Prefeito se manifestou no último dia do ano em live no Paço Municipal

Em transmissão ao vivo pelas redes sociais, nesta quinta-feira (31) véspera de ano novo, o Prefeito de Guarulhos, Gustavo Henric Costa (PSD) pediu cautela aos guarulhenses diante das comemorações durante o réveillon, neste ano de pandemia.

Nas palavras de Guti, as pessoas devem considerar adequar-se as confraternizações por meio de dispositivos digitais, e assim evitar a contaminação da Covid-19 em aglomerações. Ele reforçou que a população idosa é a mais vulnerável e deve ser privada do contágio, para tanto, os mais jovens devem se comprometer com essa responsabilidade.

O prefeito voltou a citar as taxas de ocupação de leitos na cidade, que até o último boletim registravam mais de 60% nas UTIs e 70% nas enfermarias. Guti aproveitou para destacar que a prefeitura continua com negociações para locação de leitos na iniciativa privada.

Com a aquisição, a prefeitura acredita que vai reduzir as taxas diárias e garantir acesso aos casos mais graves da doença na cidade. Guti destacou que Guarulhos deve começar a vacinação, segundo o Ministro da Saúde, entre o fim de janeiro e o início de fevereiro de 2021.

Vacina da Covid-19 em Guarulhos

Apesar da confirmação por meio do Ministro de Bolsonaro, Eduardo Pazuello, que esteve na cidade na semana passada, o Brasil ainda não tem uma data definitiva para começo da campanha. A Anvisa, por sua vez, não aprovou nenhum imunizante testado no país.

Entretanto, o calendário da Secretaria Estadual de Saúde prevê o começo da campanha em 25 de janeiro em todo o estado de São Paulo, o que contempla indiretamente a cidade. O governo de São Paulo aposta na Coronavac, parceria entre China e Instituto Butantan.

O ensaio clínico do imunizante foi adiado por mais de uma vez, mas o governo estadual deve apresentar nas próximas semanas, o relatório final e em seguida solicitar o registro da Anvisa. Ainda na live, Guti diz que não importa qual seja a origem da vacina, mas que em 2021 a crise do coronavírus seja superada após a distribuição do imunizante.