Guti pede fechamento do Aeroporto de Guarulhos para conter variante indiana do coronavírus

Foto: Sidnei Barros/PMG

Em ofício ao Governo Federal, o prefeito solicitou a suspensão temporária de voos internacionais pelos próximos 15 dias

O prefeito de Guarulhos Gustavo Henric Costa (PSD), o Guti, solicitou ao Governo Federal o fechamento temporário do Aeroporto Internacional de Guarulhos. Em ofício enviado ao ministérios da Defesa e da Saúde, Guti justificou que o objetivo é “evitar que passageiros vindos do exterior propaguem novas Cepas” no Brasil.

“Com o aparecimento da nova Cepa Indiana do Covid-19 e estando em andamento a vacinação no grupo prioritário dos Aeroportuários, solicitamos o fechamento do espaço aéreo para voos comerciais (exceto transportes de cargas), mais especificamente a suspensão de todos os pousos e decolagens de voos internacionais de passageiros no Aeroporto de Guarulhos pelos próximos 15 dias”, diz o documento.

O prefeito tem afirmado que, desde fevereiro de 2020, a prefeitura alertou à Anvisa e à GRU Airport sobre a importância e a necessidade de um planejamento de barreira sanitária no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

“Afinal, somos a porta de entrada do país. A medida, se adotada, poderia ter evitado a chegada de novas cepas do novo coronavírus, diminuindo, deste modo, a transmissão em solo brasileiro” afirmou Guti.

O Aeroporto de Cumbica é o maior terminal aéreo da América do Sul e o segundo mais movimentado da América Latina em número de passageiros.

Além disso, caso o fechamento temporário do aeroporto não seja aceito, o documento enviado pelo prefeito solicita a elaboração de um novo protocolo a fim de fortalecer a barreira sanitária do local.

Variante indiana em Guarulhos

No dia 22 de maio, um passageiro de 32 desembarcou no Aeroporto de Guarulhos vindo de Catar. Na chegada, ele apresentou teste PCR negativo, mas realizou um novo teste no próprio aeroporto. Antes de sair o resultado, ele circulou pelo terminal e viajou para o Rio de Janeiro.

Nesta quarta-feira (26), o Instituto Adolfo Lutz, da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, confirmou o diagnóstico positivo para a variante indiana, batizada de B.1.617, no passageiro.

Já nesta quinta-feira (27), a Secretaria Municipal de Saúde de Juiz de Fora, na Zona da Mata, confirmou mais um caso da cepa indiana em um passageiro que veio da Índia e desembarcou no Aeroporto de Guarulhos, no dia 18 de maio.

Maranhão

No dia 20 de maio, o governo do Maranhão confirmou os primeiros casos da variante indiana do coronavírus no Brasil. De acordo com a Secretaria de Saúde, ela foi identificada em tripulantes do navio Mv Shandong Da Zhi, que veio da África do Sul e ancorou no Estado.

O secretário de Saúde Carlos Lula afirmou, em entrevista coletiva, que 6 dos 24 tripulantes fizeram o teste genômico pelo Instituto Evandro Chagas e todos testaram positivo.