Lei proíbe alimentos embutidos na alimentação escolar em Guarulhos

Imagem: Prefeitura de Guarulhos

A partir de agora, através de uma lei sancionada no último dia 20 pelo prefeito Guti, está proibido o fornecimento de embutidos na composição da alimentação escolar nas escolas municipais.

Essa nova legislação também vem alertar professores, alunos e funcionários das unidades sobre os males desses alimentos, de maneira que evitem o consumo em seus lares ou momentos de lazer.

As escolas da Prefeitura de Guarulhos cumprem as diretrizes fixadas pelo Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), bem como pelo Guia Alimentar para População Brasileira que, entre outras diretrizes, preconizam o não consumo de alimentos embutidos e outros produtos prejudiciais à saúde. Os cardápios são compostos preferencialmente por alimentos naturais, promovendo hábitos alimentares saudáveis aos alunos matriculados na rede municipal.

Alimentação saudável e agricultura familiar

Durante o período letivo as escolas e creches da rede pública municipal recebem o acompanhamento e elaboração de cardápio feito pela equipe de nutricionistas do Departamento de Alimentação e Suprimentos da Educação (Dase), evidenciando a importância da alimentação saudável para o crescimento e o rendimento escolar.

Guarulhos ampliou a variedade de itens provenientes da agricultura familiar, dando preferência ao consumo de alimentos naturais como frutas, verduras e legumes. Desse modo, a alimentação escolar tem por objetivo limitar o consumo de alimentos de baixo valor nutricional.

Atenção ao consumo de alimentos embutidos

Alimentos embutidos são produzidos pelo enchimento de tripas de animais ou artificiais feitas com colágeno, com recheio à base de carne, vísceras, gordura, sangue, especiarias e outros ingredientes como conservantes, aromatizantes, entre outros. Os produtos mais comercializados do gênero são salsichas, linguiças, salames, mortadelas e chouriços, podendo ser defumados ou não.