Núcleo de Roubo de Cargas de Guarulhos impede roubo em Araras

Foto: Divulgação/SSP

Seis pessoas que planejavam subtrair uma joalheria foram presas em flagrante

A Polícia Civil prendeu, na noite de terça-feira (10), seis homens que integram uma quadrilha que planejava roubar uma joalheria localizada na cidade de Araras. Dois veículos e oito celulares foram apreendidos com o grupo.

A ação foi deflagrada por agentes do Núcleo de Roubo de Cargas, da Delegacia Seccional de Guarulhos, que realizavam uma investigação com o objetivo de desarticular uma organização criminosa voltada a prática de roubos. 

Durante as apurações, os policiais descobriram que o grupo iria roubar uma joalheria na cidade de Araras, no interior do Estado e, mesmo sem saber o estabelecimento específico, se deslocaram na tentativa de impedir o crime.

As informações colhidas também deram conta de que os suspeitos estariam usando ao menos o veículo Hyundai/HB20. Assim, foi requisitado apoio do Setor de Investigações Gerais (SIG) de Araras e as diligências foram intensificadas.

O automóvel suspeito foi localizado na esquina da avenida Dona Renata com a rua Campos Sales, onde as equipes realizaram campana vela. Em determinado momento, um VW/Fox se aproximou e três homens desembarcaram.

O trio embarcou rapidamente no HB20, deixando o outro carro ainda ocupado por outros três suspeitos. O Fox foi abordado e os três envolvidos, que são de São Paulo, apresentaram motivos desencontrados sobre o motivo de estarem ali.

Simultaneamente, o HB20 também foi acompanhado, sendo que um dos ocupantes também foi detido no Jardim São João. Dentro do veículo, foram localizados um revólver e uma pistola, totalmente municiados e numerações suprimidas. 

Os outros dois suspeitos foram encontrados após buscas na região – um deles foi localizado dentro de uma residência e o outro na rodoviária da cidade. O último confessou, inclusive, que tinha viajado somente para praticar o roubo a joalheria.

Durante a ação, foram apreendidos oito celulares, além das armas e carros envolvidos. Os acusados foram presos em flagrante e indiciados por associação criminosa armada e porte ilegal de armas. A Polícia Civil prossegue com as investigações.