Reabertura dos bares completa uma semana em Guarulhos com muito movimento e futuro dos estabelecimentos incerto

Foto: Michel Wakin / Guarulhos Online

Os bares de Guarulhos foram autorizados a reabrir as portas para o público há exatos sete dias. Na última segunda-feira (13), a batalha judicial e política entre município e estado finalmente chegou ao fim e a cidade entrou na fase amarela do Plano São Paulo, podendo assim, realizar a retomada destas atividades.

Os estabelecimentos, que ficaram fechados por cerca de 100 dias, tiveram de seguir uma série de medidas restritivas, como a lotação de até 40% da capacidade total, espaçamento entre mesas e cadeiras, além da disponibilização de equipamentos de proteção individual à funcionários e clientes e esterilização constante dos ambientes.

Consumidores lotam bar localizado na rua Tapajós – Foto: Michel Wakin/Guarulhos Online

O Guarulhos Online esteve no último sábado (18), na rua Tapajós, conhecida pela grande concentração de bares e restaurantes na cidade, e registrou intensa movimentação de pessoas.

Durante o período que a reportagem esteve no local, não houve descumprimento das regras impostas pelo poder público, mas as pessoas, por muitos momentos, tiveram de retirar suas máscaras para consumir alimentos e bebidas.

Um consumidor, que preferiu não ser identificado, disse não ter medo de voltar a frequentar os bares.

“Eu sei que corro algum tipo de risco estando aqui, mas não aguentava mais ficar em casa, não tenho medo, tive que sair porque estava ficando louco”, afirmou.

Mesmo com a retomada das atividades os proprietários e administradores dos estabelecimentos alegam que não sabem como irão sobreviver operando com 40% de sua capacidade.

“Nós tínhamos 62 mesas na casa antes da pandemia, hoje pela medida de segurança nós temos 29 mesas”, ressalta Bruno Pereira, gerente do bar Marechal.

João Carlos, um dos proprietários do Beco da Vila, primeiro bar da rua a fechar, e que irá retomar suas atividades somente na próxima quinta-feira (23), relatou as dificuldades encontradas para manter o local aberto.

“O Beco da Vila foi fechado no dia 28 de março, não tivemos nenhuma linha de crédito do governo, conseguimos apenas um abatimento em 50% do aluguel junto ao proprietário do imóvel. Ao meu ver apenas 40% de lotação das casas vai ser muito difícil para qualquer comércio sobreviver”.

Mesas respeitam distanciamento, mas consumidores dispensam uso de máscara – Foto: Michel Wakin/Guarulhos Online

Fiscalização

A Prefeitura já iniciou a fiscalização dos estabelecimentos, que poderão funcionar 6 horas por dia, das 16h às 22h. Não se sabe ainda como o trabalho será feito nas periferias, uma vez que a quantidade de bares na cidade é muito grande e a fiscalização não funciona com a mesma efetividade. Leitores do GO relataram bares abertos sem respeitar as medidas estipuladas em locais mais afastados do centro da cidade.