Entenda mais sobre a comercialização de cães e Gatos

Foto: Divulgação

Saiba quais práticas devem ser executadas para preservar a saúde dos animais

Como todos sabem, sou completamente apaixonada pelos animais! Em minha rotina diária de atendimentos clínicos, me deparo com as mais diversas situações, e hoje gostaria de abordar um tema polêmico, porém necessário: a “comercialização de animais de companhia”.

Em meados de 2019 participei de uma live na Câmera de deputados no Estado de São Paulo que abordava a necessidade de ter um médico veterinário responsável em canis que hoje comercializam animais, algo que considero fundamental.

A participação foi muito produtiva e ajudou a esclarecer alguns fatores determinantes para a comercialização de pets de uma maneira menos agressiva, prezando seguir a ordem natural da formação biológica dos animais.

Doutora, a senhora é contra a venda de animais?

Na verdade, não, mas a forma que ela funciona nos tempos atuais não me agrada nenhum um pouco. Todas pessoas que acompanham meu trabalho sabem que sou muito flexiva com muitos assuntos, mas esse em especial anda me incomodando há algum tempo.

Irei apontar aqui três fatores que considero alarmantes que percebo neste mercado, conforme minha experiência na clínica de animais de companhia, falando somente de “cães e gatos” em princípio.

Desmame precoce

Cada vez mais me deparo com situações de desmame precoce de animais, com a ânsia de entregar espécimes pequenos que acabam agradando muito ao consumidor final. Pois quanto menor determinada raça é, maior o valor agregado.

Riscos ao não se respeitar o ciclo vacinal

Os filhotes precisam passar pelas fases adequadas com sua mãe, e com afastamento precoce, você prejudica o ciclo vacinal do filhote e passa expô-lo antes do tempo.

O animal tem a imunidade da mãe até os seus 45 dias, quando eles já estão preparados para iniciar o ciclo de vacinação, com acompanhamento do médico veterinário.

Lembrando que, a vacinação deve ser feita por um veterinário e ter o carimbo e avaliação do mesmo. esses animais

Castração

Outra situação super polemica é a castração precoce dos filhotes e, de acordo com uma lei do município de SP, que já entrega filhotes com menos de 5 meses de idade castrados, e vacinados , que pode levar  problemas no seu desenvolvimento como por exemplo, incontinência urinaria , aparência genitália com aparência infantil, retardo no desenvolvimento ósseo em machos de porte grande , enfim são diversos fatores.

A castração é sim um ato de amor, e traz muitos benefícios para os animais, deixando claro que tem que ser feita de forma responsável e correta respeitando a fisiologia desenvolvimento dos mesmos.

Hoje, de forma bem abreviada, só estou levando conhecimento de que algumas práticas que são feitas pelos criadores/vendedores de animais de estimação, que por falta de conhecimento e fiscalização acabam incentivando determinadas atitudes que não devem ser feitas.

Ao comprar ou adotar um animal, fique bem atento(a) e investigue como foi a vida pregressa dele, para que não acabe incentivando essas práticas sem saber. Em um próximo texto vamos continuar esse assunto, assim, você poderá ficar antenado na hora de adquirir seu filhote por compra ou adoção.

Juliana Kopczynski é médica veterinária formada pela Universidade Estadual de Santa Catarina. Pós-graduada em clínica cirúrgica, atua nesta especialidade tratando de amimais domésticos e exóticos. Seu principal engajamento são as ações sociais para a causa animal, visando sempre o bem-estar dos seres vivos, assim como a pesquisa científica.