Existe relacionamento familiar abusivo?

Foto: Keira Burton/Pexels

Se você acha que relacionamento abusivo ocorre apenas dentro de relações amorosas, e que é quando um dos parceiros agride fisicamente o outro, você precisa ler esta coluna. São “diagnosticadas” como relações abusivas toda e qualquer união onde não exista respeito pelo espaço e individualidade do outro.

Onde não tem a vontade e o querer do outro, e existe sim uma falta de escuta saudável. Ocorre entre pais x filhos e irmãos também. E, vale ressaltar que essas relações podem existir em qualquer fase da vida, sendo infância, adolescência e vida adulta.

Sabe aquele pai e mãe que não escuta a vontade do filho adolescente, que impõe a sua vontade acima de tudo, mesmo percebendo o adolescente se queixar de sofrimento ou simplesmente por não querer certas coisas?

Pais que agem com toxicidade querendo saber e controlar tudo de seus filhos, com um discurso de “mas somos seus pais, temos que saber tudo que você pensa”? Gente, isso está errado! Os pais não precisam controlar os pensamentos dos filhos.

Se tem uma coisa nesta vida que ainda pertence só a nós mesmos, são os pensamentos e os desejos, e ninguém pode controlar ou monitorar por nós. Brincadeiras e piadas em casa, feita pelos irmãos ou pelos próprios pais, onde só um lado acha graça, são exemplos de abuso e toxicidade.

Quando um familiar tenta diminuir o outro para fazê-lo se sentir mal ou quando existe qualquer satisfação, estamos falando de um perfil tipo narcisista. E, nessas pessoas falta empatia e o que pode aparecer são jogos emocionais, chantagem psicológica e uma ostentação da posição hierárquica na família. 

E, quando se percebe que está numa família abusiva é importante não esperar pela mudança da outra pessoa, o caminho é aceitar que você não tem esse poder e procurar a sua mudança de visão e comportamento.

Buscar autoconhecimento, definir seus próprios limites em relação ao que sente, aprender a se colocar, a dizer não de maneira firme o ajudará a lidar melhor com esse familiar tóxico. A autoestima elevada auxilia a não depender emocionalmente da aprovação dos familiares em tudo o que se vai fazer.

Tome decisões priorizando o seu bem estar!