Janeiro Branco – A importância da Saúde Mental

Foto: Daniel Reche/Pexels

A campanha Janeiro Branco foi criada em 2014 por alguns psicólogos de Uberlândia. Hoje é realizada em todo o Brasil, por instituições e pessoas que desenvolvem ações em prol do lema defendido. Tem como objetivo principal convidar as pessoas a refletirem sobre a saúde mental.

Chama a atenção da humanidade para o tema que é tão importante para todos. Faz parte da proposta da campanha prevenir o adoecimento emocional, mobilizar a sociedade e promover ações que conscientizem que todos têm direito à saúde mental.

A bandeira levantada é: “Quem cuida da mente, cuida da vida”. Cuidar da saúde mental é tão importante quanto cuidar da saúde física, pois uma auxilia na outra. Um dos motivos que motivou o início da campanha foi o panorama da saúde mental no Brasil.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), uma média de 12 milhões de brasileiros sofrem com depressão, o que equivale a 5,8% da população. E, conforme estudos esse número pode alcançar de 20% a 25% de brasileiros.

A ansiedade por sua vez, afeta aproximadamente 20 milhões de brasileiros, que corresponde a 9,3% da população. Incluindo as fobias, o transtorno obsessivo compulsivo (TOC), transtorno de pânico e estresse pós traumático.  

A consciência do cuidado à saúde emocional é o primeiro passo de prevenção de problemas psicológicos graves. Só assim as pessoas deixarão de tratar a saúde mental como um tabu, e passarão a procurar o auxílio necessário. E, quando falamos em transtornos mentais, é imprescindível pensar na prevenção.  

Se você possui uma empresa ou faz parte da direção de uma, também pode fazer movimentos da campanha do Janeiro Branco, como reunir os colaboradores para uma atividade, palestra, reunião ou bate papo e distribuir materiais que falam sobre a importância da saúde mental. 

Ou, se você quer cuidar da sua saúde emocional, procure manter uma rotina diária com horários para trabalho, estudo, lazer e alimentação, dormir bem em quantidade e qualidade, praticar atividade física, fazer pequenas pausas durante o dia, reduzir tempo em redes sociais, ter opções de lazer que sejam prazerosas e estar perto de pessoas agradáveis. 

Não é nenhum motivo de vergonha e muito menos sinal de fraqueza assumir que algo não está bem com o nosso psicológico. Pedir ajuda é sinal de força!

Ana Paula Souza é Psicóloga Clínica com experiência em atendimentos de adolescentes e adultos Especialista em Terapia Cognitivo Comportamental Aperfeiçoamento em Perdas, Luto, Depressão e Ansiedade Extensão em Saúde Mental e Cuidados no Acolhimento ao Luto em Situação de Crise Palestrante em Saúde Mental, Educação e Desenvolvimento Pessoal Consultora de Recursos Humanos e Desenvolvimento Pessoal Membro da Associação Brasileira de Estudos e Prevenção do Suicídio (ABEPS).