Clubes do livro focam em literatura feita por mulheres com encontros online

Coletivo Escreviver em encontro online - Foto: Stefanie Fanticeli

Conheça alguns clubes fundados ou organizados por mulheres de Guarulhos que incentivam a leitura de autoras, além de receber nomes da cena local

No episódio Por que é tão difícil ser mulher? do Podcast do Guarulhos Online, o qual participei como uma das convidadas, pude falar um pouco como participar de um clube do livro feito por e para mulheres pode ajudar as integrantes do grupo refletirem sobre diversas questões que atravessam a vida das mulheres de forma geral, além de conhecer outras vivências e entender quais são as especificidades dentro das múltiplas formas de “ser mulher”. Porém, além da questão pessoal e social, os clubes literários focados em mulheres autoras vêm sendo uma ferramenta em busca de equidade no mercado literário.

Nas escolas e universidades é muito comum ver o nome de autores homens assinando os livros das referências bibliográficas. O mesmo acontece em listas de leituras obrigatórias para o vestibular ou premiações do universo da literatura. Para dar luz à esse tema da inserção e valorização das mulheres no cenário literário brasileiro, Regina Dalcastagnè, professora de literatura brasileira da Universidade de Brasília (UnB) pesquisou livros publicados por três grandes editoras durante 14 anos (de1990 e 2004) e constatou que 72,7% das obras publicadas nesse período eram assinadas por homens.

Remando contra essa maré, o Coletivo Escreviver, fundado por Naiara Neves e Stefanie Fanticeli, de Guarulhos, nasceu em 2018 depois que as fundadoras se deram conta de que apesar de leitoras vorazes, passaram boa parte da vida lendo majoritariamente autores homens e muitas vezes renomados. Incentivando autoras, o Coletivo elege uma leitura mensal e convida mulheres de todo o Brasil para ler e conversar sobre a obra em reunião online. Antes da pandemia, os encontros aconteciam na Biblioteca Villa Lobos, para atender mulheres de Guarulhos, São Paulo e outras regiões do estado.

Alguns encontros presenciais ou online contaram com a presença das autoras, entre elas: Jarid Arraes, autora do livro de contos Redemoinho em Dia Quente, vencedor do  Prêmio Biblioteca Nacional; Gabriela Soutello, que assina o livro de poesia “Ninguém Vai Lembrar de Mim”, vencedor do  Prêmio Mix Literário 2019; Natalia Borges Polesso, vencedora do prêmio Jabuti de 2019 pelo contos de “Amora”, e Stella Mares Rezende, autora da obra “Menina do Mercado Central” e colecionadora de prêmios, entre eles 4 Jabutis. O próximo encontro acontece dia 13 de fevereiro, às 14h30 via zoom para conversar sobre o livro de poesia “Júbilo, Memória, Noviciado da Paixão da Hilda Hilst”.

Outra iniciativa é o Leia Mulheres Guarulhos, que está sob o guarda-chuva do Leia Mulheres, um clube de leitura focado em autoras, com “franquias” em todos os estados e diversas cidades do Brasil. O Leia Mulheres foi fundado em 2015 por Juliana Gomes, Juliana Leueronth e Michelle Henriques. Em Guarulhos, as mediadoras são Letícia Weber e Lilian Bonfim. Para o próximo encontro, que será dia 23 de fevereiro (20h) via zoom, o clube contará com a presença da autora Luciana Muller, autora do livro “Colo Invisível” e dona do gastrobar Don Cordelli, localizado na Rua Tapajós (Guarulhos).

O ano ainda está começando, então fica a dica para quem quer voltar a ler com mais frequência. Para as interessadas, busquem os coletivos nas redes sociais e deem uma olhadinha nos livros sugeridos.

Beatriz Mazzei é graduada em Jornalismo e moradora de Guarulhos, assessora de imprensa de cultura e entretenimento, repórter de temáticas sociais e de gênero, escritora de contos, crônicas e poesias curtas.