Ansiedade e Depressão entre os jovens: Saiba como entender e ajudar seu filho

0
2
Foto: Divulgação

Com base em dados científicos colhidos mundo afora, o Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas de São Paulo estima que cerca de 10% das crianças e dos adolescentes já sofrem de ansiedade.

A ansiedade é um estado caracterizado por medo, apreensão, mal-estar, desconforto, insegurança, estranheza do ambiente ou de si mesmo e, muito frequentemente, pela sensação de que algo desagradável está para acontecer.

Não falamos de um simples nervosismo antes de uma prova. Trata-se de um prejuízo mais intenso no dia a dia. Por isso chama atenção para o principal desafio hoje: a detecção dos casos leves. Até porque a tendência é a situação se agravar ou predispor a outros distúrbios, como depressão.

depressão é caracterizada pela perda ou diminuição de interesse e prazer pela vida, gerando angústia, algumas vezes sem um motivo evidente. Hoje, a depressão é considerada a quarta principal causa de incapacitação, segundo a Organização Mundial da Saúde.

Esse transtorno psiquiátrico atinge pessoas de qualquer idade. O desânimo sem fim é fruto de desequilíbrios na bioquímica cerebral, como a diminuição na oferta de neurotransmissores como a serotonina, ligada à sensação de bem-estar.

Hoje se sabe que a depressão não promove apenas uma sensação de infelicidade crônica, mas incita alterações fisiológicas, como baixas no sistema imune e o aumento de processos inflamatórios.

Possíveis causas ou gatilhos da ansiedade

  • Viver em ambientes estressantes, com familiares que vivem preocupados
  • Separação dos pais
  • Ser vítima de bullying

Fique atento aos sinais e sintomas

Receio de ficar só: se os pais estão fora, o jovem os monitora. Para os menorzinhos, a adaptação na escola demora mais.

Timidez excessiva: quando a professora chama diante da sala, por exemplo, o desconforto chega a paralisar.

Difícil interação: a criança ou o adolescente têm dificuldade de fazer um pedido para o garçom ou vendedor de uma loja.

Tenso demais: sofre-se por antecipação. Muitas vezes, surgem queixas físicas, como dor de cabeça ou de barriga.

 

Além dos medicamentos convencionais, existem algumas alternativas naturais que podem nos ajudar a controlar a ansiedade:

  • Pratique de atividades físicas.
  • Reduza do estresse diário.
  • Experimente controlar a respiração.
  • Evite pensamentos negativos.
  • Invista em alimentos mais leves.
  • Faça uso de chás.
  • Mantenha o foco de atenção no presente.
  • Seja mais organizado.
  • Confie mais em você e menos nos outros.
  • Durma com pouca luz e com celular desligado.

Fonte: Revista Saúde e Minha Vida