Anvisa autoriza importação de insumos para produção da vacina de SP

Foto: Divulgação

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) anunciou nesta terça-feira (28) a autorização da importação de matéria-prima para produção da CoronaVac. Esta é a vacina contra a Covid-19 desenvolvida pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac.

O pedido havia sido feito em setembro pelo Instituto que possui insumos para produção de 40 milhões de doses. O governo de São Paulo corre contra o tempo e promete iniciar a imunização em meados de dezembro, ainda neste ano.

O primeiro lote liberado pela Anvisa, com 6 milhões de doses, virão prontas para a aplicação. A nova remessa chegará em formato a granel (bulk), para ser formulada e envasada pelo Butantan, que já conta com toda a estrutura necessária para o processamento do imunizante.

Com esta nova aprovação, o Instituto segue em tratativas com a farmacêutica chinesa para a liberação e posterior envio ao Brasil. A autorização definiu algumas condições para a importação excepcional com discussões técnicas dentro do órgão. A decisão e o teor do voto estão disponíveis aqui.

Estudos clínicos

A CoronaVac está sendo testada em 13 mil voluntários de 7 estados brasileiros, mais o Distrito Federal. O estudo de fase III coordenado pelo Instituto Butantan já conta com mais de 9 mil participantes vacinados, todos profissionais da saúde na linha de frente no combate ao coronavírus.

Na última semana o Governador João Doria (PSDB) e o diretor do Butantan, Dimas Covas, confirmaram a criação de seis novos centros de pesquisa, totalizando 22, para a ampliação da testagem, o que permitirá a celeridade do processo de comprovação da eficácia da CoronaVac.

O governador se manifestou a pouco nas redes sociais após da decisão: