Banco Latino aprova empréstimo à Guarulhos para obras no Baquirivu

Foto: Márcio Lino/PMG

O Banco de Desenvolvimento da América Latina aprovou nesta terça-feira (7) empréstimo no valor de 96 milhões de dólares (aproximadamente R$ 516 milhões) para o Programa de Macrodrenagem e Controle de Inundações do Rio Baquirivu-Guaçu.

Segundo a Prefeitura, o montante vai financiar melhorias nos sistemas de drenagem e a mobilidade urbana no município. O que inclui uma série de obras viárias, urbanísticas e habitacionais.

O empréstimo é resultado de tratativas da atual administração municipal junto dos representantes da Corporação Andina do Fomento (CAF), que visitaram a cidade em março deste ano.

Agora, para assinatura do contrato, falta a aprovação da Secretaria do Tesouro Nacional (STN) e da Procuradoria-Geral da Fazenda Nacional. Posteriormente, a operação precisa ser aprovada pelo Senado.

Para o prefeito Guti, o programa de macrodrenagem do Rio Baquirivu-Guaçu será uma das maiores realizações do seu governo. Mas, se o prefeito se reeleger para então dar início às obras, visto que até o período das eleições o projeto não deve sair do papel.

Plano Ideal

Segundo o plano, o programa de macrodrenagem de Guarulhos beneficiará 326.799 moradores dos bairros Bonsucesso, Taboão, Jardim São João, Jardim Presidente Dutra, Parque Cecap, Lavras, Sadokim, Várzea do Palácio e Cidade Aracília, e indiretamente 1.379.182 habitantes.

Os recursos da CAF são para obras de canalização aberta ao longo do rio Baquirivu-Guaçu, expansão de pontes, construção de reservatórios de água, parques, quadras poliesportivas, ciclovias e corredores rodoviários, entre outros.

O secretário de Obras, Marco Antonio Guimarães, salientou que as obras no Baquirivu vão minimizar em mais de 60% os problemas de enchentes em Guarulhos. O projeto conta ainda com a adequação do corredor viário da rua Jamil João Zarif em uma extensão de 3,5 km e do corredor de ônibus da avenida Natalia Zarif, com 4 km.

Haverá também a implantação do loteamento Ponte Alta II numa área de 230 mil m² com 345 lotes residenciais, além de prédios com 378 apartamentos, áreas verdes, implantação de Ponto de Entrega Voluntária (PEV/LEV).

E ainda uma unidade de pronto-atendimento (UPA), escola, quadra, área comercial e toda a infraestrutura com arruamento, pavimentação, drenagem, calçada. Mas, sem data prevista para início das obras e término estimado.