De olho no risco: Fazer as compras no supermercado ou farmácia exige cuidados

0
6
Foto: Reprodução

A recomendação está em todo lugar de forma clara: #FiqueEmCasa. A hasteg está sendo usada nas redes sociais por artistas, personalidades e especialistas que defendem o recolhimento geral das pessoas para evitar a propagação do novo coronavírus.

Mesmo assim tem muita gente desrespeitando a regra. Idosos, pessoas que estão no grupo de risco (diabéticos, asmáticos, com problemas cardiovasculares e imunodeprimidos, entre outros) e com sintomas devem evitar mais ainda as saídas.

A compra de alimentos, produtos de limpeza, higiene e remédios está como prioridade. E as compras online nos supermercados são uma boa alternativa para quem está restrito ou não quer se arriscar.  No caso de quem está saudável e precisa ir ao mercado, alguns cuidados devem ser tomados para evitar a contaminação.

Um estudo publicado no periódico MedRxiv revelou que o vírus pode ser detectado no ar por até 3 horas, até 4 horas em cobre, até 24 horas em papelão e de dois a três dias em plástico e aço inoxidável.

Dicas 

Antes de tudo, escolha um horário em que o mercado provavelmente está mais vazio e prefira um perto da sua casa. No local, encare suas mãos como sempre sujas. Isso quer dizer que você deve evitar a todo custo colocá-las em seus olhos, boca ou nariz antes de lavá-las com água e sabão. Na farmácia, a mesma coisa.

Ao chegar em casa, retire os sapatos e troque a roupa. Lave as mãos e os alimentos crus em água corrente. Mergulhar as verduras e frutas em uma solução contendo água sanitária diluída em água e depois lavá-las em água abundante pode ajudar na contenção da propagação do vírus se ele estiver circulado ali.

O uso do álcool gel pode ser feito nas embalagens dos alimentos e também nas sacolas em que estiverem as compras (prefira sacolas retornáveis, que podem ser lavadas ou higienizadas). É importante lembrar de manter uma distância de, no mínimo, um metro de outro indivíduo, e na hora de pagar, preferira cartões.