Estado prorroga vacinação contra sarampo até 31 de outubro

Foto: Reprodução

A campanha seria finalizada na próxima segunda-feira (31)

A Secretaria de Estado da Saúde prorrogou, até dia 31 de outubro, a intensificação de vacinação contra o sarampo. O principal objetivo é aumentar a cobertura vacinal em adultos na faixa de 30 e 49 anos, que foi de apenas 6,7%, com 845,5 mil vacinados, de um total de 12,6 milhões de pessoas neste público.

As doses da vacina tríplice viral, que protege contra sarampo, rubéola e caxumba, continuarão sendo aplicadas neste grupo de forma indiscriminada, ou seja, estas pessoas deverão receber um reforço mesmo que já tenham as duas doses completas na carteirinha.

Já para a faixa de crianças de 6 meses a adultos de 29 anos, um profissional de saúde avalia a situação vacinal e, se preciso, aplica a dose para os casos que ainda não tiverem o esquema de imunização completo.

“A vacina é eficaz e a maior aliada para a maior prevenção contra diversas doenças, inclusive o sarampo. Atualizar a caderneta e manter a situação vacinal em dia é fundamental para proteção efetiva”, diz a diretora de imunização, Nubia Araujo.

Desde 15 de julho, quando a iniciativa começou, 940,7 mil pessoas deste grupo procuraram um serviço de saúde, e 472,7 mil receberam nova dose para atualizar a carteira.

A circulação do vírus do sarampo se mantém ativa no Estado. Por isso, a Secretaria de Estado da Saúde convoca todos os cidadãos que ainda não receberam as doses da vacina, para que compareçam aos postos para serem imunizados.

Todas as unidades mantêm protocolos de segurança para profissionais de saúde e pacientes como o uso de máscara, que é obrigatório.  Os profissionais também orientam os pacientes para manter a organização da fila e do ambiente, visando à prevenção da Covid-19. Nesse sentido, também é feita triagem para eventual identificação de sintomático respiratório.

Balanços

Em 2020, até o momento, foram confirmados 785 casos da doença e um óbito, de uma criança na cidade de São Paulo.  Em 2019, foram 17.876 casos e 14 mortes.

As faixas etárias mais acometidas são a dos adultos jovens de 20 a 29 anos (26,8%), crianças menores de um ano (22,9%) e adolescentes de 15 a 19 anos de idade (15,6%).   

O Programa Estadual de Imunizações (PNI) prevê, na rotina dos postos, a aplicação da tríplice aos 12 meses (dose 1) e também aos 15 meses (dose 2) para reforço da imunização com a tetraviral, que protege também contra varicela. Além disso, há a “dose zero” para os bebês com seis meses ou mais.

Crianças e adultos, com idade entre um ano a 29 anos, devem ter duas doses da vacina contra o sarampo. Acima desta faixa, até 60 anos, é preciso ter uma dose. Pessoas com idade superior não têm recomendação para imunização.

A vacina é contraindicada para bebês com menos de 6 meses, bem como para pessoas imunodeprimidas e gestantes.