Governo do Estado minimiza o avanço da Covid-19 e as altas taxas em UTI em Guarulhos

Imagem: Reprodução/Facebook

O governo do estado de São Paulo foi questionado, ao vivo, sobre a alta taxa de ocupação de leitos hospitalares em Guarulhos nesta quarta-feira (03). A pergunta direcionada ao setor de saúde abordava a efetividade das ações estaduais no município. O Comitê de Saúde afirmou que as ações são regionais.

Durante coletiva, o governador João Doria (PSDB) recuou e disse que o município ainda não atingiu a capacidade total, mas reconhece que os números são preocupantes. A fala desconsiderou que a taxa de ocupação das UTIs chegou em 100% por duas vezes, em menos de uma semana na cidade.

Ontem (02), o Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê, divulgou que a região receberá do estado 20 respiradores, mas Guarulhos não estava na lista contemplada. A informação já havia sido adiantada no final de semana, quando a prefeitura expôs o plano de aquisição de leitos privados em dois hospitais da cidade.

Doria voltou a dizer que não hesitará em retroceder diante da flexibilização, caso os números de contaminados e de mortes fiquem ainda mais elevados. Mas o governo quer pagar para ver, por isso lançou uma nova campanha publicitária que reforça o uso de máscara nas ruas, transporte e comércio.

“As pessoas que realmente não puderem ficar em casa, devem usar máscara, manter o distanciamento social efetivo e realizar a higienização frequente das mãos”, aponta o infectologista, docente da Universidade Cidade de S. Paulo (Unicid) e pesquisador do Hospital Padre Bento e Bom Clima de Guarulhos, Alexandre Piva Sobrinho.

O governo do estado acredita que com as medidas adotadas na quarentena em São Paulo, 1 milhão de pessoas form salvas do contágio da Covid-19 e 70 mil mortes foram evitadas. Mesmo sem atingir o pico da pandemia estuda reaberturas regionais.

De acordo com Piva, apesar ainda estamos com número de casos ascendente, a flexibilização atende a particularidades de cada setor econômico e os estabelecimentos devem seguir as estratégias de prevenção preconizadas pelo município.

Diante disso, a Secretária de Desenvolvimento Econômico, Patrícia Ellen, afirmou que avanço das etapas do Plano São Paulo para os munícios paulistas não se trata de uma competição. “Nós não estamos em um jogo para passar de fase”, disse.