Guarulhos vai integrar estudo clínico contra a Covid-19 e convoca voluntários

Foto: Fábio Nunes Teixeira/PMG

O ministro da Ciência, Tecnologia e Inovações, Marcos Pontes veio à cidade nesta quarta-feira (1º) para divulgar oficialmente a integração entre Guarulhos e o governo federal. O plano visa encontrar voluntários que se submetam à um estudo clínico com o medicamento contra o novo coronavírus.

O estudo foi aprovado pela Comissão Nacional de Ética em Pesquisa (Conep) e o medicamento a ser testado será a nitazoxanida. Por meio de um evento no Paço Municipal e na sequência no Centro de Especialidades Odontológicas do Jardim Angélica, na região do Pimentas, o programa foi apresentado.

O Centro Nacional de Pesquisa em Energia e Materiais (CNPEM), organização social vinculada ao ministério, identificou por meio de inteligência artificial em testes com 2 mil fármacos cinco remédios com potencial de combate à Covid-19.

A nitazoxanida diminuiu em 94% a carga viral em células infectadas in vitro. A pesquisa científica em questão apoiou o início dos estudos clínicos em pacientes em busca da comprovação da eficácia do remédio.  

“Queremos apresentar ao Brasil e ao mundo que este remédio identificado por pesquisadores brasileiros com recursos do governo federal é capaz de combater o vírus e salvar vidas”, destacou o ministro Marcos Pontes.

O medicamento não cura o novo Coronavírus, mas é um inibidor de sintomas mais graves da doença. Para tanto, o prefeito Gustavo Henric Costa (PSD) convocou munícipes para testagem durante sua live desta quarta-feira (01).

Como funciona?

Segundo informações da Prefeitura, aqueles que desejarem contribuir com a ação voluntária precisam apresentar quadro de síndrome gripal. Entre os sintomas, febre, fadiga e tosse ou a confirmação da Covid-19.

Esses pacientes podem procurar o Centro de Especialidades Odontológicas (Rua José Inácio Gomes, nº 441 – Pimentas, Guarulhos – SP). É obrigatório o uso de máscaras durante triagem e cadastro.

Os participantes farão o teste diagnóstico RT-PCR de forma gratuita e serão acompanhados pela equipe médica por oito dias, de acordo com o protocolo divulgado.