Mesmo com crescimento de casos e mortes, Guarulhos vai fechar Hospital de Campanha

Foto: Fábio Nunes Teixeira/PMG

O Hospital de Campanha do Cecap está com os dias contados para ser desinstalado na próxima semana. Após a vigência de seis contratos para a instalação e operação no local, as tendas estão sendo desmontadas progressivamente para finalizar os atendimentos em 04 de setembro.

Mas, de acordo com o Prefeito Gustavo Henric Costa (PSD), Guarulhos não venceu o coronavírus. Segundo os boletins divulgados diariamente pela saúde municipal, apesar do número de contaminações e mortes crescerem, as internações hospitalares têm reduzido.

O Guarulhos Online questionou a prefeitura se mesmo com a queda nas ocupações de leitos, seria seguro desativar o hospital. Em nota, a atual administração esclareceu que a desativação está sendo feita com critério e segurança.

Segundo a saúde municipal, a decisão foi tomada mediante análise da tendência de estabilidade e queda nas taxas de ocupação dos leitos nas últimas semanas. Na quinta-feira (26/08), a cidade atingiu a menor taxa de ocupação de UTI desde o início da pandemia.

O GO perguntou se os demais hospitais municipais, como as UPAs, terão capacidade de acolher internações de Covid-19. A administração municipal não esclareceu este ponto, apenas informou que mantém os contratos com hospitais privados para internações de pacientes com Covid-19 até o início de setembro.

Nesses locais, há leitos exclusivos para o tratamento da doença, mas não nos hospitais sob gestão municipal. Mesmo assim, o município garante assistência à população nos demais hospitais públicos geridos pela rede.

A assessoria não quis comentar se teme crescimento de novos casos que necessitem de internações, nem se o Hospital Municipal de Urgências (HMU) será referência para novas ocorrências, já que lá, houve acréscimo de uma ala exclusiva para atendimentos de Covid.

Foi indagado ainda qual o destino dos equipamentos adquiridos para o Hospital de Campanha do Cecap e se serão utilizados em outros hospitais da cidade, mas sobre esse assunto não obtivemos resposta. Assim como não foi informado os custos totais das operações depois de cinco meses em funcionamento.