Obras contra enchentes no entorno do Baquirivu devem começar neste ano

Foto: Marcela Vasconcelos (GO)

As obras do Programa de Macrodrenagem e Controle de Inundações do rio Baquirivu-Guaçu, promovidas pela Prefeitura de Guarulhos, estão em processo de licitação e devem ter início ainda neste ano. A afirmação é da própria assessoria do executivo municipal.

O projeto visa melhorar os sistemas de drenagem e a mobilidade urbana no município com uma série de obras viárias, urbanísticas e habitacionais. Segundo Gustavo Henric Costa (PSD), o projeto de adequação do Baquirivu é uma das maiores realizações do seu governo.

Entretanto, o prefeito e o secretário de governo Edmilson Americano afirmaram há alguns dias atrás em uma das lives de Guti que essa obra não deve ser concluída em um mandato. O que significa que levará anos para ser finalizada e poder livrar a região de inundações.

O programa conta com financiamento externo na ordem de R$ 516 milhões e tem por objetivo a redução de cheias por meio da ampliação da calha do rio Baquirivu-Guaçu. O projeto prevê entre outras medidas, a construção de reservatórios, melhoria de vias urbanas e ampliação dos corredores viários de acesso ao aeroporto internacional de Guarulhos.

A execução do programa será por meio da Corporação Andina do Fomento (CAF) que favoreceu a aprovação do empréstimo internacional pelo Banco de Desenvolvimento da América Latina. O processo licitatório das obras contempla a canalização de 14,4 km do rio Baquirivu, e ainda 20 km de ciclovia entre a CPTM e Arujá.

Todos os anos a região que beira o Baquirivu e tem centenas de moradores enfrenta as enchentes em decorrência as fortes chuvas de verão. Mas, a obra deve reduzir a ocorrência de enchentes para uma a cada 25 anos. O projeto conta ainda com a adequação do corredor viário da rua Jamil João Zarif em uma extensão de 3,5 km e do corredor de ônibus da avenida Natalia Zarif, com 4 km.

A gestão do programa cabe às secretarias de Governo, Obras, Habitação, Assistência Social e Meio Ambiente, que atuarão no desenvolvimento, monitoramento e fiscalização da obra. O programa contará também com o envolvimento das secretarias da Fazenda, Justiça e Transportes e Mobilidade Urbana, além da Procuradoria-Geral do Município.