Professora de Guarulhos é demitida após culpar menina de 10 anos por sofrer estupro

Imagem: Reprodução/Rede Globo

Eliana Nuci de Oliveira, que atuava como professora na Escola Estadual Frederico de Barros Brotero, no Centro de Guarulhos, foi demitida após comentar em rede social que não houve violência no caso da menina estuprada desde os seis anos pelo tio no Espírito Santo.

O post com os comentários foram apagados do Facebook (rede utilizada pela mulher), mas expostos no Twitter pelo perfil Anonymous Brasil.

A professora afirmou que a menina “já tinha vida sexual há quatro anos com esse homem. Deve ter sido bem paga”. Disse ainda que “crianças se defendem chorando pra mãe, esta menina nunca chorou por quê?”

Os comentários geraram grande indignação e revolta entre internautas e o caso repercutiu tão negativamente que, nesta quarta-feira (19), o secretário de Educação do Estado, Rossieli Soares anunciou a demissão da servidora.

“É um absurdo uma profissional que deve ser educadora e defensora da infância afirmar que não é uma violência. Repúdio total a qualquer um que defenda um absurdo”, disse o secretário.

Caso da Menina de 10 anos que sofreu abusos

A menina de dez anos da cidade de São Mateus, no Espírito Santo, engravidou após ser estuprada pelo tio desde o seis anos de idade. A garota não denunciou porque disse que era ameaçada.

A Justiça determinou que o aborto fosse feito e o procedimento foi realizado em um hospital de Recife. Antes do aborto ser finalizado, grupos religiosos chegaram a fazer protestos na porta do hospital.

O tio dela, suspeito do crime, foi preso na terça-feira (18), em Betim, Minas Gerais. O homem seguiu para o Complexo Penitenciário de Xuri, em Vila Velha, na Grande Vitória. Ele foi indiciado por estupro de vulnerável e ameaça e estava foragido desde a última semana.