Quarentena vigora até 23 de agosto e abertura de escolas só vai ocorrer com 80% das regiões na fase amarela

Foto: Reprodução

O governo de São Paulo, prorrogou até 23 de agosto a quarentena em todo estado. O anúncio foi feito nesta sexta-feira (7) na décima atualização do Plano São Paulo. Nove áreas de DRSs (Departamentos Regionais de Saúde) progrediram de fase e estão agora na etapa amarela, menos restritiva em relação às atividades econômicas e à mobilidade social.

Com a atualização, 86% da população do estado está em regiões localizadas na fase amarela. A capital, as sub-regiões Sudoeste, Sudeste e Leste da Grande São Paulo, a Baixada Santista e Araraquara permanecem na etapa amarela.

Esta fase que permite reabrir bares, restaurantes e salões de beleza com 40% da capacidade, além de academias com 30% de vagas e expediente limitado a seis horas por dia. A permanência por 28 dias seguidos na fase amarela também permite a reabertura, com limitações, de espaços culturais como museus, bibliotecas, cinemas, teatros e salas de espetáculos.

Das 17 áreas de DRSs estabelecidas no Plano São Paulo, apenas Franca e Registro permanecem na etapa vermelha, com restrição total ao atendimento presencial de comércios e serviços não essenciais.

A sub-região Oeste da Grande São Paulo regrediu para a fase laranja, onde permanecem as regiões de Barretos, Presidente Prudente, São José do Rio Preto e sub-região Norte da Grande São Paulo. Esta etapa permite funcionamento com 20% da capacidade de público em escritórios em geral, imobiliárias, comércio de rua, shoppings e concessionárias.

A abertura é restrita a quatro horas diárias, todos os dias, ou seis horas durante quatro dias e fechamento por três. A reabertura das escolas está condicionada à fase de transição das regiões e a permanência na fase amarela até outubro, quando as aulas presenciais devem retornar.