Secretário de Transportes de SP é preso pela força tarefa da Lava Jato

Foto: Cesar Itiberê/PR

Alexandre Baldy de Sant’Anna Braga, secretário dos Transportes Metropolitanos do governo do estado de São Paulo, foi preso na manhã desta quinta-feira (06) pela força tarefa da operação Lava Jato. O secretário é suspeito de fraudes na área da Saúde.

Baldy foi levado à sede da Polícia Federal, na Zona Oeste da capital paulista. Informações iniciais apontam que a motivação do pedido de prisão temporária não está relacionada ao cargo que ocupa no governo paulista.

Segundo as investigações, o secretário de João Doria, deputado federal licenciado do PP de Goiás e ex-ministro das Cidades no governo do ex-presidente Michel Temer, é apontado por atos suspeitos antes de assumir a pasta.

A prisão de Alexandre é uma das seis expedidas pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal do RJ na operação. Policiais federais cumprem hoje seis mandados de prisão e onze de busca e apreensão no Rio de Janeiro, São Paulo, Goiás e Distrito Federal.

O governador João Doria (PSDB), se manifestou via nota oficial sobre a prisão.

“Os fatos que levaram as acusações contra Alexandre Baldy não têm relação com a atual gestão no Governo de São Paulo. Portanto, não há nenhuma implicação na sua atuação na Secretaria de Transportes Metropolitanos. Na condição de Governador de São Paulo, tenho convicção de que Baldy saberá esclarecer os acontecimentos e colaborar com a Justiça”.

Outras duas pessoas foram detidas, entre elas um pesquisador da Fiocruz, Guilherme Franco Netto. A operação é um desdobramento das investigações realizadas no âmbito das operações Fatura Exposta, Calicute e SOS.

Os investigados responderão pelos crimes de corrupção, peculato, lavagem de dinheiro e organização criminosa.