Aneel reajusta valor da bandeira tarifária em 52% e conta de luz ficará mais cara

Foto: Divulgação

Entre julho e novembro, a cobrança extra será de R$ 9,49 a cada 100kWh, aumento acontece por razão da “pior crise hídrica” em 91 anos

A bandeira tarifária de patamar 2 sofreu um reajuste de 52% no valor. Com isso, a cobrança extra subiu de R$ 6,24 para R$ 9,49 a cada 100 kWh consumidos. O aumento foi aprovado, nesta terça-feira (29), pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), e passa a valer a partir de julho até novembro.

A cobrança extra se deve a “pior crise hídrica” dos últimos 91 anos. Os reservatórios das hidroelétricas estão sofrendo com escassez de água, em especial a do Sudeste e Centro-Oeste. Ambas correspondem a 70% da capacidade de geração de energia do país, e estão operando com 29,4% da capacidade total.

Em pronunciamento nessa segunda-feira (28), o ministro de Minas e Energia, Bento Albuquerque, pediu o uso “consciente e responsável” de água e energia pela população. “O uso consciente e responsável de água e energia reduzirá consideravelmente a pressão sobre o sistema elétrico, diminuindo também o custo da energia gerada”, declarou.

Sobre a possibilidade de racionamento de energia, como aconteceu em 2001, Albuquerque afirmou que, atualmente, o setor elétrico é “robusto”, o que traz “garantia do fornecimento elétrico aos brasileiros”.

Ainda nessa segunda, o então presidente Jair Bolsonaro (sem partido) editou uma Medida Provisória que cria um conselho interministerial para gerir a crise hídrica. Este grupo poderá, entre outras medidas, estabelecer limites de uso, armazenamento e vazão das usinas hidrelétricas.

Bento Albuquerque será o presidente da câmara. Além disso, os ministros Paulo Guedes (Economia); Tarcísio de Freitas (Infraestrutura); Tereza Cristina (Agricultura, Pecuária e Abastecimento); Joaquim Álvaro Pereira Leite (Meio Ambiente); e Rogério Marinho (Desenvolvimento Regional) também integrarão o órgão.