Brasil perde Copa América, mas ganha nova variante do coronavírus

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

O Governo de Mato Grosso confirmou dois casos da variante B.1.621, identificada pela primeira vez na Colômbia e até então inédita em solo brasileiro

A seleção brasileira perdeu o jogo contra a Argentina na final da Copa América por 1X0. No entanto, o Brasil ganhou uma nova variante do coronavírus com a realização da competição. Nessa segunda-feira (12), o governo do Estado de Mato Grosso confirmou a identificação de dois casos da variante B.1.621, que até então não circulava no país.

O Instituto Adolfo Lutz foi responsável pelo sequenciamento genético em 12 amostras. Destas, os resultados positivos para variante B.1.621 são de um equatoriano e de um colombiano. A variante gama, encontrada pela primeira vez no Amazonas, foi identificada nos outros 10 resultados.

No dia 13 de junho, na abertura do campeonato, Colômbia e Equador se enfrentaram em Cuiabá, na Arena Pantanal. A variante B.1.621 foi identificada pela primeira vez na Colômbia e é classificada pela Organização Mundial da Saúde (OMS) como variante de “interesse”.

No dia 08 de junho, o ministro da Saúde Marcelo Queiroga afirmou na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia que a Copa América não representaria riscos adicionais à população e que, do ponto de vista epidemiológico, não havia justificativa para o torneio não ser realizado no Brasil.

A edição da Copa América deste ano foi sediada no país após ser recusada na Colômbia e na Argentina por causa da pandemia de coronavírus.