Saúde realiza mutirão de testes para HIV e Sífilis na estação Brás

Foto: Reprodução

Ações acontecem em 19 e 26 de novembro e ofertam testes rápidos e preservativos

A Secretaria de Estado da Saúde promove na quinta-feira (19), das 10h às 14h30, uma ação de testagem para HIV e Sífilis, IST (infecções sexualmente transmissíveis) que podem ser evitadas com uso de métodos preventivos e diagnosticadas precocemente.

A iniciativa acontece na estação Brás do Metrô, na linha 3-Vermelha, e deve se repetir no dia 26 de novembro. A ação conta com a participação de 50 profissionais do Centro de Referência e Treinamento (CRT) DST/Aids-SP, braço operacional da Secretaria de Saúde de SP.

Os testes rápidos são práticos e de fácil execução, com resultado em 30 minutos, além de serem gratuitos, confiáveis e não requererem jejum. “A ideia é desmistificar os tabus e prestar toda a assistência e orientação à população”, explica o coordenador do Programa Estadual DST/Aids-SP, Alexandre Gonçalves.

Os testes rápidos possibilitam que a população tenha acesso ao seu resultado de forma ágil e, caso o resultado ateste positivo para HIV ou sífilis, uma nova amostra de sangue é coletada e encaminhada para teste laboratorial para confirmação de diagnóstico.

Se o resultado for positivo, o paciente é encaminhado a serviço de referência assistencial para início do tratamento. Nos casos em que o resultado se apresenta negativo, a equipe reforça as formas de prevenção e fornece todas as orientações sobre as doenças, a fim de reduzir o número de infectados.

Além destas ações pontuais de testagem, o Programa Estadual DST/Aids-SP disponibiliza tratamento e testes de sífilis e anti-HIV, que visam o diagnóstico precoce e podem ser realizados o ano todo.

Essa política tem contribuído para o diagnóstico e tratamento oportuno de gestantes durante o pré-natal.  Mais informações podem ser encontradas no site www.crt.saude.sp.gov.br, ou através do telefone 0800 16 25 50.

Dicas de prevenção de ISTs

  • Use camisinha do começo ao fim da relação sexual;
  • Nunca utilize o mesmo preservativo por mais de uma vez;
  • Não compartilhe objetos perfuro-constantes, como seringas e agulhas;
  • Gestantes devem realizar os testes de sífilis e Aids, prevenindo e evitando a transmissão das doenças ao feto.

Sífilis e Aids

A sífilis pode ser transmitida através de relações sexuais desprotegidas (sífilis adquirida), que pode acometer a população adulta e as gestantes; por transmissão vertical (sífilis congênita), quando ocorre a transmissão da doença da mãe para o bebê durante a gravidez (sífilis gestacional).

No Estado de São Paulo, foram notificados, em 2019, 37.299 casos de sífilis adquirida, 4.013 de sífilis congênita e 12.676 casos de sífilis em gestantes. Já a Aids, ou Síndrome da Imunodeficiência Adquirida, é uma doença infectocontagiosa causada pelo vírus HIV (Human Immunodeficiency Virus).

Pode ser transmitida através da relação sexual desprotegida, assim como a sífilis, ou por meio do contato com mucosas ou área ferida do corpo, além do compartilhamento de seringas e agulhas. O primeiro caso da doença ocorreu em 1980 e, até junho de 2019, foram notificados 105.422 casos de pessoas infectadas pelo HIV em SP.