Secretaria de Desenvolvimento Regional diz que ocupação de leitos está abaixo de 60% em SP

Foto: Rovena Rosa/Agência Brasil

Governo do Estado tem orientado redobrar as medidas sanitárias individuais e faz monitoramento diário da situação da pandemia em SP 

Na 48ª semana epidemiológica do Plano SP, a equipe de saúde do governo paulista informou os seguintes dados epidemiológicos. Verificou-se uma queda de 11% no número de casos de coronavírus em relação à semana epidemiológica anterior, ao mesmo tempo que uma relativa estabilidade no número de internações, com leve incremento de 1%.

O índice de óbitos causados pela Covid registrou queda pronunciada de 15%.  O Secretário Marco Vinholi, de Desenvolvimento Regional, enfatizou que a estratégia do Plano SP é estar sempre um passo à frente da pandemia, agindo de forma preventiva para controlar e debelar a transmissão do vírus. 

O secretário de Saúde, Jean Gorintcheyn, ressaltou que o Plano SP visa conter a pandemia, e o Governo do Estado tem sido prudente e cauteloso em todas as suas ações. Os dados de hoje mostram queda de 11,1% no total de casos em relação à semana epidemiológica anterior, com 4827 casos de Covid-18 em todo o estado.

Há estabilização nas internações hospitalares, com leve incremento de 1%, mas queda firme nos índices de óbitos, com redução de 15%. Para o titular da Saúde paulista, os números atuais não justificam medidas mais restritivas no momento. 

As taxas de ocupação de leitos de UTI no estado registram 50%, com mais de mais de 1,2 milhão de casos de Covid-19 em todo o estado e 41 mil óbitos. “Ainda estamos em quarentena e precisamos que cada um colabore fazendo o controle da pandemia”, concluiu o Secretário de Saúde, Jean Gorintcheyn. 

Em SP, não há uma “segunda onda” da pandemia. Para os responsáveis pela Saúde no estado, a situação está sob controle. O que sucede, esclareceu João Gabbardo, diretor executivo do Centro de Contingência do coronavírus,  são oscilações nos números, com subidas e quedas eventuais, mas nada que se compare ao pico da pandemia em junho.