Depois de semanas de seca, prefeitura apresenta plano de recuperação para Lago dos Patos

Foto: Michel Wakin/Guarulhos Online

O lago de Vila Galvão está repleto de lama e com baixo nível de água, administração municipal diz que vai recuperar a região até final de 2022

*Com colaboração de Michel Wakin

Conhecido pelo transbordamento no verão, o lago de Vila Galvão sofre com a seca do inverno. A atração que leva centenas de guarulhenses para visitar o local está em estado crítico, em que é possível notar muita lama na superfície, além do baixo nível das águas.

Nas últimas semanas, diversas autoridades políticas gravaram imagens no entorno do lago e registraram nas redes sociais. O assunto foi mencionado por alguns vereadores em sessão da Câmara Municipal, que cobraram da Prefeitura, uma ação urgente.

Até um abaixo-assinado circula nas redes sociais e cobra providências no local, inclusive com a solicitação da elaboração de um estudo ambiental. A medida visa apontar meios para desassoreamento e recuperação das nascentes de águas fluviais.

Isso porque, além de atração de lazer e passeio dos que vivem na região e visitantes, há animais que vivem no lago, como peixes, patos e tartarugas. No entanto, diversos relatos e imagens registradas ali mostraram esses animais agonizando, pela seca do lago.

A reportagem do Guarulhos Online esteve nesta manhã de sexta-feira (27) no local e registrou imagens da lama na superfície do lago. Além disso, conversou com frequentadores e guarulhenses que diariamente passam pela região.

Maria Aparecida relatou que frequenta o lago há cinco anos e costuma levar os filhos para aproveitar o local. Mas, se assustou com a seca, a lama e a sujeira que atingiram o local, para a moradora da região, o lago precisa ser cuidado com urgência e com a colaboração de todos.

Lago de Vila Galvão (Lago dos Patos) imagens feitas na manhã de sexta-feira (27 de agosto) pelo repórter fotográfico Michel Wakin para o Guarulhos Online

O que diz a Prefeitura

No fim da tarde, a Prefeitura de Guarulhos anunciou que a atração turística e local passará por um “grande processo de recuperação”. Segundo a administração municipal, obras emergenciais tiveram início nesta sexta-feira (27), após ampla repercussão do caso.

Entre as ações está programada, a condução da água encontrada em minas de ruas próximas para o interior do lago. A prefeitura atribuiu o baixo nível de água no lago, à maior seca na região nos últimos cem anos.

De acordo com nota, o complexo receberá uma série de melhorias, que incluem desassoreamento, nova iluminação em LED e paisagismo. Haverá também a criação de uma nova ilha com pontes ligando as margens, o que proporcionará mais atrativos ao local.

A Prefeitura justificou ainda que a atração, criada em 1903, está em tais condições por nunca ter recebido qualquer ação de desassoreamento pelas administrações anteriores. As obras previstas visam aumentar a vazão de entrada de água no lago e desta forma restituir o seu nível normal.

Quanto aos animais que vivem ali, para garantir melhoria das condições de habitabilidade da fauna aquática, a recuperação prevê a redução da população de peixes. Eles serão transferidos para os lagos do Zoológico Municipal de Guarulhos e, caso seja necessário, para os lagos da região do Cabuçu.

Já as tartarugas e patos serão levados temporariamente para o zoológico até a finalização das melhorias. A Prefeitura estima que as obras de recuperação ficarão prontas até o final de 2022, mas não apontou qual custo e como será pago.