Alça do Rodoanel em Guarulhos depende de negociação entre Doria e Bolsonaro

Foto: Reprodução/Governo de SP

Há previsão de que as obras sejam retomadas em 2022, os canteiros estão abandonados em Guarulhos desde 2018

Na manhã desta sexta-feira (25) o Prefeito Guti (PSD) publicou em suas redes sociais, o registro de uma reunião com a Dersa, umas das responsáveis pelo Rodoanel Norte. A construção do viário está abandonada desde 2018 e deveria ter ficado pronta em 2016.

A maior parte do trecho corta Guarulhos, mas teve a construção interrompida por suspeitas de corrupção e necessidade de adequações no trajeto. Desde 2020, o governo do estado de São Paulo estuda retomar as obras mas comente em 2022.

A administração municipal no entanto, tem protagonismo tardio em relação aos impactos da execução dessa obra e sob a paralização da construção do trecho norte do Rodoanel. O governo de João Doria (PSDB) promete concluir a licitação até o término de 2021.

Entretanto, o atual projeto não contempla nenhum acesso a Guarulhos, o que estaria sendo negociado por Guti. O diretor da ARTESP, Milton Persoli afirmou em audiência pública que seria necessário uma nova licitação para contemplar os 3,6 km sob Avenida Candea até o Aeroporto Internacional.

Mas, um fato determinante para que a alça de acesso se torne realidade para Guarulhos é o diálogo entre os governos estadual e federal. Essa via é a única, em tese, que prevê aos guarulhenses a possibilidade de chegar ao viário sem ter que ir à Arujá ou São Paulo.

Entretanto, apesar de ser a GRU Airport a administradora do território de onde está o aeroporto, é o governo federal quem vai decidir sobre as adequações do acesso. Essa foi outra informação apresentada por Persoli durante audiência pública no mês passado.

Mas para isso, o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) precisa sentar na mesma mesa que o governo de João Doria (PSDB) para definir os rumos do Rodoanel em uma decisão que impacta diretamente Guarulhos e sua população.