Assembleia da Proguaru decide que STAP não deve participar de negociações sobre PDV

Foto: Michel Wakin/Guarulhos Online

Sindicato dos Servidores Públicos de Guarulhos decide apoiar movimento ‘Em Defesa da Proguaru’ na coleta de assinaturas para realização do referendo municipal

O Sindicato dos Servidores da Administração Pública (STAP) realizou nesta sexta-feira (23) assembleia deliberativa com funcionários da Proguaru. Na pauta, a discussão sobre a participação do sindicato nas negociações do Plano de Demissão Voluntária (PDV) junto à Secretaria da Fazenda.

A maior parte dos trabalhadores presentes na assembleia votou contra a participação, neste momento, do STAP nas negociações com a administração municipal. O interventor Ibrahim El Kadi teria convocado a diretoria do STAP para uma reunião às 14h desta sexta-feira (23).

Entretanto, o sindicato teria respondido pedindo a alteração da data, já que a decisão sobre a participação seria tomada em assembleia. De acordo com o presidente da entidade, Pedro Zanotti Filho, o STAP entrou com pelo menos duas ações civis públicas na Justiça do Trabalho e na Justiça comum.

Ambas ainda não foram apreciadas, mas solicitam ponderações sobre o fim da Proguaru aprovado pela Câmara de Vereadores no fim de 2020. O sindicato, no entanto, tem perdido protagonismo nas negociações, mas nesta assembleia decidiu se integrar à coleta de assinaturas, em favor do referendo que poderá reverter a extinção.

“Não existe proposta nenhuma, nós estamos aqui hoje só para decidir se iremos ou não discutir com a empresa a decisão de uma proposta,” afirmou Zanotti. Alguns dos trabalhadores presentes manifestaram descontentamento ao PDV e pediram ao STAP, que corroborasse à campanha de assinaturas pelo referendo municipal.

Ainda segundo Zanotti, caberia audiências públicas em Guarulhos para discutir a extinção da Proguaru, mas a ação não foi executada, nem antes, nem após a aprovação da lei. De acordo com ele, o sindicato não foi consultado sobre o fim da empresa e a pauta, também não foi discutida em assembleias.

Representantes do grupo Em Defesa da Proguaru elencaram falas em que consideraram o PDV precipitado e solicitaram o adiamento desta assembleia com STAP para após as eleições que vão escolher a comissão (CLT) de trabalhadores, cujo os membros poderão participar das negociações da empresa.

Entre as falas, Jaqueline Valente, funcionária da Proguaru disse que é necessário aguardar o resultado dos estudos a serem apresentados pela FIPE. Segundo ela, os eleitos na comissão de trabalhadores devem participar da discussão de um possível PDV.

De acordo com Eliana Maria, funcionária e membro do Em Defesa da Proguaru, a atual comissão participativa, não é contra o PDV, mas empresa pública não abre falência. “O plano é direito dos trabalhadores que quiserem, mas o sindicato deveria ficar ao lado da sobrevivência da empresa e da realização do referendo,” disse.

Por fim, o STAP solicitou o endosso dos trabalhadores e do movimento Em Defesa da Proguaru para realização de um ato na próxima sexta-feira (30) às 08h no Paço Municipal. Na data está prevista a entrega do resultado final do estudo sobre a empresa, encomendado pela Prefeitura de Guarulhos à FIPE.