Guarulhos participa de reunião sobre barreiras sanitárias no Aeroporto

Aeroporto de Guarulhos - Foto: PAC

Autoridades públicas discutem estratégias de monitoramento nos municípios

A cidade de São Paulo começa nesta terça-feira (25) a triagem de passageiros vindos do Maranhão, estado onde foi detectado os primeiros casos da variante indiana do coronavírus no Brasil. A barreira sanitária incluirá verificação de temperatura, busca por sintomas respiratórios, cadastro dos viajantes e monitoramento por até 14 dias.

A medida foi definida após reunião com a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), prefeituras de Guarulhos e São Paulo, governo do estado e concessionárias que administram rodovias que dão acesso à capital. Na reunião, a prefeitura de São Paulo solicitou à Avisa barreiras nos aeroportos e rodovias.

O prefeito de Guarulhos Gustavo Henric Costa (PSD), o Guti, tem reivindicado a iniciativa afirmando que, desde fevereiro de 2020, a prefeitura alertou à Anvisa e à GRU Airport sobre a importância e a necessidade de um planejamento de barreira sanitária no Aeroporto Internacional de Guarulhos.

“Afinal, somos a porta de entrada do país. A medida, se adotada, poderia ter evitado a chegada de novas cepas do novo coronavírus, diminuindo, deste modo, a transmissão em solo brasileiro” afirmou Guti.

Apesar de comportar o Aeroporto em seu território, o município de Guarulhos não possui autonomia para decidir sobre a questão e depende do Governo Federal. Além disso, Guti afirmou em live no Facebook que terá uma nova reunião com Anvisa nesta terça-feira (25). Até o momento, não há evidência da circulação das cepas indianas no Estado de São Paulo.

A Anvisa deve emitir informe técnico orientando as estratégias para monitoramento e contenção nos municípios. Além disso, a Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo destacou ainda que, nos aeroportos, “as diretrizes e coordenação das ações serão definidas pela Anvisa”.

“As medidas são essenciais no controle da população que chega à cidade de São Paulo, principalmente para evitar a entrada de novas cepas e aumentar o risco de um novo aumento de casos na capital”, informou a prefeitura em nota.

Rodovias

Na Rodoviária do Tietê, equipes farão a triagem dos passageiros das 08h às 15h. Quem apresentar sintomas será encaminhado em ambulância da prefeitura de São Paulo para serviços de pronto atendimento municipais para fazer o teste RT-PCR.

A prefeitura oferecerá 30 vagas em hotéis próximos ao terminal rodoviário para isolamento das pessoas em risco social. Além disso, uma cartilha vai orientar os cuidados necessários para o isolamento domiciliar.

Nas rodovias, haverá distribuição de materiais informativos de prevenção e alertas nos painéis digitais das estradas. Será feita triagem nos postos de pesagem por onde passam os caminhoneiros. Os sintomáticos também serão testados. Além disso, será distribuído material informativo sobre cuidados e modos de prevenção.

Cepa indiana no Brasil

Na quinta feira (20) o governo do Maranhão confirmou os primeiros casos da variante indiana do coronavírus no Estado. Conforme informações da Secretaria de Saúde, ela foi identificada em tripulantes do navio Mv Shandong Da Zhi, que veio da África do Sul e ancorou no Estado.

De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a variante B.1.617 está sendo classificada como preocupante. Dessa linhagem se origina três sub-linhagens: B.1.617.1, B.1.617.2 e B.1.617.3. É a sub-linhagem B.1.617.2 que foi identificada nos tripulantes do navio.