Guti e Alckmin discutem cenário pós- pandemia em Guarulhos e SP

Foto: Reprodução/Youtube

O Prefeito e o ex-governador mencionaram os desafios da saúde pública, gestão dos recursos econômicos e importância das medidas de prevenção contra a Covid-19

O Prefeito de Guarulhos, Guti (PSD) esteve ao lado do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) em uma live realizada pela Faculdade Uninove, nesta quinta-feira (04). O Governador leciona na Instituição desde 2018, quando foi derrotado nas eleições presidenciais.

A transmissão teve como foco discutir as projeções para Guarulhos e o Estado de São Paulo em um cenário pós-pandemia. Alckmin que é médico, considerou que a vacina é o caminho para combater a pandemia, mas destacou que até lá, o auxílio emergencial deve ser reestabelecido.

Na ocasião, Guti mencionou as tratativas entre a Prefeitura e o Governo do Estado nos primeiros anos de seu mandato, sobre negociações que possibilitaram a ampliação de distribuição água e esgoto, que começaram em Guarulhos durante o governo de Alckimin.

Ambas as autoridades tocaram na questão do pacto federativo, que de acordo os dois gestores públicos, prejudica os investimentos em municípios, e ao destinar maior fatia de impostos à união, retira das cidades o dinheiro necessário para aplicação em saúde, por exemplo.

Já Alckmin, lembrou que o Saneamento Básico melhorou o Brasil, na visão dele, elevou a expectativa de vida de 40 para 70 anos, possibilitando acesso à água, vacina e antibiótico, medidas que mudaram o mundo e a vida das pessoas.

“Prefeitura e Estado não fazem favor para ninguém, o SUS é um direito de todos, o problema é o sub financiamento, governar é escolher, nunca vai ter dinheiro para tudo, mas a saúde melhora muita coisa,” destacou o governador.

O prefeito Guti reconheceu que terá como grande desafio, melhorar comunidades e regiões de periferia no pós pandemia. Revelou que a cidade está cotando junto com o Alto Tietê, leitos na iniciativa privada para Covid-19 e destacou os custos elevados de cada nova unidade.

Segundo o prefeito, um leito de UTI custa aos cofres públicos mais de R$ 2 mil reais e um leito de enfermaria R$ 1.500. Durante a fase mais dura da quarentena nos próximos 14 dias, prometeu coibir aglomerações com forças de segurança, como a policia militar e GCM.

Por fim, o prefeito mencionou sua promessa de campanha, sobre o empréstimo cedido pela municipalidade aos micro empresários como forma de amenizar os impactos econômicos da crise. Segundo ele, está mantida a proposta que deve ser disponibilizada em breve.