IFA para mais 10 milhões de doses da vacina do Butantan chega ao Aeroporto de Guarulhos

Foto: Governo de SP/Reprodução

O voo trouxe 6 mil litros do insumo da Coronavac e pousou na cidade neste sábado (26)

O Governador João Doria (PSDB), o secretário da saúde, Jean Gorinchteyn, e o diretor executivo da Fundação Butantan, Rui Curi, acompanharam neste sábado (26) a chegada de um novo lote de 6 mil litros Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) no Aeroporto de Guarulhos.

A remessa permitirá que o Instituto Butantan produza e entregue ao Programa Nacional de Imunizações (PNI) mais 10 milhões de doses da vacina contra a Covid-19. Dentro de 12 dias, o Instituto iniciará a entrega das doses ao Ministério da Saúde.

A carga, enviada pela biofarmacêutica Sinovac, parceira do Butantan para o desenvolvimento do imunizante veio em uma aeronave da companhia aérea Turkish. O voo saiu de Pequim, na China, e fez escala em Istambul, na Turquia, antes de chegar ao Brasil.

O IFA recebido agora passará pelos processos de envase, rotulagem, embalagem e por um rígido processo controle de qualidade para só então chegar ao braço dos brasileiros. Todo este processo dura aproximadamente de 15 a 20 dias.

Em maio, o Instituto Butantan recebeu três mil litros de matéria prima, o mesmo quantitativo do mês de abril que possibilitou a produção e a entrega de 5 milhões de doses. Em março, uma remessa de 8,2 mil litros de insumo, correspondente a cerca de 14 milhões de doses, chegou ao Brasil.

Outros 11 mil litros de insumos desembarcaram no país em fevereiro. No final de 2020 foi recebido IFA suficiente para a produção de 3,8 milhões de vacinas. Até o momento, o Butantan já assegurou 52,21 milhões de vacinas contra a Covid-19 entregues ao PNI.

Os dois acordos firmados com o Ministério da Saúde totalizam 100 milhões de doses, com previsão de conclusão para o dia 30 de setembro. Porém, o Butantan e a Sinovac tentam viabilizar duas remessas de 12 mil litros cada, em julho e agosto.

Desta forma será possível garantir o cumprimento do contrato com o Ministério da Saúde com ao menos um mês de antecedência. A partir de dezembro, o Butantan deverá produzir a matéria-prima da vacina contra a Covid-19 em uma nova fábrica em São Paulo.

A construção da unidade deve ser concluída em setembro, com capacidade para fabricação local de 100 milhões de doses do imunizante por ano. Com esse equipamento pronto, não será mais necessário importar o IFA de outros países para produzir vacinas.