Nova concessão da Dutra é aprovada pelo TCU e prevê ‘free flow’ em Guarulhos

Foto: William Gois/Guarulhos Online

O Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tranquilizou a população da cidade em 2020 e negou que o governo federal, por meio da nova concessão instalaria um pedágio no município

O Tribunal de Contas da União (TCU) aprovou nesta semana o novo plano de concessão da Rodovia Presidente Dutra (BR-116) entre São Paulo e Rio de Janeiro. Hoje o trecho é operado pelo Grupo CCR (Nova Dutra) mas o contrato vence no fim deste ano.

Desde 2020, o governo federal articula a nova concessão e realizará um leilão em que além da Via Dutra, outras rodovias serão contempladas. A empresa responsável terá que fazer adequações nesta via, que é uma das mais importantes do país.

No plano do governo, há entre as “inovações” está a utilização de um Desconto de Usuário Frequente, com a implantação do sistema de pedágio sem cancelas (free flow). A ideia é que a instalação seja feita no trecho de Guarulhos (SP).

O projeto prevê iluminação inteligente por LED e sistemas de telegestão, com tarifas distintas para a pista simples e dupla, por exemplo. Além da Dutra, o projeto também contempla um pedaço da BR-101, entre Rio e SP.

No total, serão 625,8 km administrados pela nova concessionária, por um período de 30 anos, com previsão de investimento em R$ 14,8 bilhões. Em reportagem do publicada pelo Estadão em maio, a isenção do pedágio para motos deve encarecer a cobrança sobre os demais motoristas.

No caso da Dutra, a gratuidade deve provocar um aumento médio de 0,5% nas tarifas pagas pelos demais usuários. A discussão sobre a instalação de um pedágio na via Dutra, no trecho de Guarulhos existe desde antes da pandemia.

À época, o Presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tranquilizou a população da cidade e negou que o governo federal, por meio da nova concessão instalaria um novo pedágio na via. Naquele período estavam sendo realizadas audiências públicas sobre adequações à nova concessão.