Prefeitos do Alto Tietê pedem ao Estado hospital de campanha regional

Foto: Divulgação PMG

O condemat se reuniu com Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi e solicitou ainda, barreiras sanitárias em alguns municípios

Em reunião realizada neste domingo (21) com o Secretário de Desenvolvimento Regional, Marco Vinholi, o Conselho de Prefeitos do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat) solicitou ao Governo do Estado apoio na implantação de um hospital de campanha regional, com vagas destinadas aos infectados dos municípios consorciados.

O consórcio propôs ainda barreiras sanitárias e ampliação da circulação de ônibus e trens para reduzir a superlotação. A dificuldade de leitos tem sido um dos pontos mais problemáticos da atual fase da pandemia, nas unidades municipais e contratadas.

Nas duas últimas semanas o Alto Tietê registra ocupação acima de 90%, com algumas cidades com índices superiores a 100%.  Desde quarta-feira, 30 novos leitos começaram a funcionar no Hospital Dr. Arnaldo Pezzuti, em Mogi das Cruzes, e são previstos mais 60 para os próximos dias, além de outros 30 no Hospital das Clínicas de Suzano.

Durante a reunião, os prefeitos solicitaram ainda, o reforço no apoio do Estado na operacionalização de barreiras sanitárias nas entradas dos municípios, em especial em Biritiba Mirim, Guararema, Salesópolis e Santa Isabel, que recebem grande fluxo de turistas e temem complicações com a antecipação dos feriados municipais na Capital.

No início desta semana, Rodrigo Ashiuchi, presidente do Condemat participa de uma reunião com presidentes de outros consórcios intermunicipais do Estado para discutir ações regionais e a eventual antecipação de feriados, a exemplo da Capital.

Numa assembleia extraordinária realizada hoje à noite, o Conselho de Prefeitos do Condemat se posicionou, inicialmente, contrário a antecipação de feriados no período entre 29 de março e 4 de abril. A decisão final, no entanto, só será tomada após consulta à indústria e outros setores.

Os prefeitos também avançaram em propostas como a ampliação do horário de funcionamento de supermercados, com limitação de acesso de  uma pessoa por vez, assim como na restrição para venda exclusiva de produtos alimentícios.