Prefeituras que se recusarem a seguir Plano SP estão sujeitas a sanções judiciais

Foto: Michel Wakin/Guarulhos Online

Na 161ª coletiva de imprensa sobre a pandemia de Covid-19, hoje (15), no Palácio dos Bandeirantes, o Governo do Estado divulgou a 18ª reclassificação do Plano SP. O anúncio estava programado para 5 de fevereiro, mas foi antecipado por causa da alta nos números da Covid-19.

A reclassificação colocou as regiões do interior do estado da fase amarela para a laranja. São elas: Araçatuba, Bauru, Franca, Piracicaba, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto e Taubaté. A região de Marília, contudo regrediu da fase laranja para a fase vermelha.

As demais regiões permanecem na fase amarela, abrangendo 67% da população do estado. Guarulhos apesar da alta nas internações em UTI se manteve nesta etapa de flexibilização porque tem o respaldo das taxas de ocupação de leitos da Grande SP.

Na etapa vermelha só podem funcionar atividades essenciais, como farmácias, mercados, padarias, lojas de conveniência, bancas de jornal, postos de combustíveis, lavanderias e hotelaria. Comércios e serviços não essenciais só podem atender em esquema de retirada na porta, drive-thru e entregas por telefone ou aplicativos. 

Já na etapa laranja, todas as atividades que estão liberadas podem funcionar por até oito horas diárias e com capacidade de público de 40%. Porém, todos os estabelecimentos devem encerrar o atendimento presencial às 20h. O consumo local em bares está proibido. 

Além da Grande São Paulo, Araraquara, Baixada Santista, Barretos, Campinas e São João da Boa Vista estão no eixo amarelo em que há menos restrições. Mas os cuidados com a vigilância sanitária contra a Covid-19 não devem ser deixados de lado.

Na segunda semana epidemiológica de 2021, os números de hoje são semelhantes aos do pico da pandemia em meados de 2020 com incremento significativo. Prefeituras que se recusarem a seguir as normas estabelecidas pelo Governo do Estado ficam sujeitas a sanções judiciais. 

Alerta

O Governo do Estado também colocou em alerta 43 cidades que, independentemente da classificação de suas regiões, estão com ocupação hospitalar de pacientes graves com coronavírus acima de 80%. A recomendação é que as Prefeituras determinem a restrição total de atividades não essenciais para aliviar a pressão sobre hospitais públicos e particulares. 

Os municípios em situação de alerta tem cidades de diversas regiões do estado, mas Guarulhos ficou de fora da lista. A cidade vai receber na próxima segunda-feira (18) 4,5 milhões de doses da coronavac encaminhadas pelo governo do estado ao Ministério da Saúde.

Vacina

A cidade comporta um centro logístico do governo federal e as doses vão ser destinadas ao programa nacional de imunizações. A Anvisa vai anunciar no domingo (17) se autoriza o uso emergencial da vacina do Butantan no Brasil.

O Butantan já dispõe de 10,8 milhões de doses da vacina. Até o final de março, a carga total de imunizantes disponibilizados pelo instituto está estimada em 46 milhões de doses. 

A vacina é desenvolvida pelo Butantan há pouco mais de seis meses, em parceria internacional com a farmacêutica Sinovac, da China. O produto é baseado na inativação do vírus Sars-CoV-2 para induzir o sistema imunológico humano a reagir contra o agente causador da COVID-19.

A tecnologia é similar à de outras vacinas amplamente produzidas pelo instituto de São Paulo. O mesmo procedimento é usado para produção anual de vacinas contra a gripe Influenza.