3º dia de greve da Proguaru; nova assembleia acontece na sexta (19)

Foto: Reprodução

Greve é mantida mesmo com suspensão das aulas presenciais; funcionários que atuam na Saúde não podem aderir ao movimento por decisão judicial

Uma assembleia realizada pelos servidores da Proguaru (Progresso e Desenvolvimento de Guarulhos), decidiu pela manutenção da greve, que teve início nesta segunda-feira (15). A votação que também aconteceu ontem, apontou 90,81% de aprovação por parte dos trabalhadores.

A greve, motivada pelo processo de extinção da empresa, conta com o apoio de diversos sindicatos de Guarulhos, como: Sindcargas, Aeroportuários; SindSaúde; CUT/Guarulhos; Sindicato dos Gráficos; Construção Civil; Químicos; entre outros.

A extinção da Proguaru foi aprovada pela Câmara Municipal e sancionada pela Prefeitura no final do ano passado. A Prefeitura alega que o custo anual da Proguaru está acima dos R$ 400 milhões, e que, além disso, a empresa acumula prejuízos desde 2013.

Os profissionais da área da saúde ficam impedidos de participar do movimento por conta de uma uma decisão judicial, que também determina que 50% do efetivo dos servidores que atuam na Educação (limpeza e controle de acesso) deve ser mantido.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores da Administração Pública Municipal (Stap), a Proguaru possui 4.700 funcionários, que em sua maioria, ganha o Piso de R$ 1.171,00 a R$ 1.200,00 (no caso dos ASGs – serviços gerais) ou de R$ 1.270,00 a R$ 1.300,00, para Agente de Portaria.

O Stap afirma que os responsáveis pelos maiores gasto são os funcionários que possuem cargos comissionados e de direção, com salários, de até R$ 7 mil.

Na próxima sexta-feira (19), haverá uma nova assembleia a fim de definir os próximos passos a serem tomados pelo movimento.