A onda verde que alcançou as urnas francesas pode chegar às eleições guarulhenses?

Foto: Fábio Pozzebom/Agência Brasil

O meio ambiente como centro de discussões políticas, sociais e econômicas não pode ser ignorado pelas campanhas eleitorais. Ou ao menos não deveria.

Sua importância tem impacto direto na qualidade de vida, economia e questões sociais de todos os locais e por isso merece ser pensado num plano de governo.

Esse crescimento de importância e discussões ambientais tem sido chamados de ‘onda verde’ pensado mesmo nesse movimento das ondas que avançam e vão encobrindo o que está em seu caminho.

Na França as eleições municipais ocorridas no meio deste ano foram marcadas por essa ‘onda verde’ e resultaram na eleição de prefeitos ecologistas de importantes cidades do país. 

Alguns especialistas consideraram que o crescimento desta pauta ambiental em eleições neste momento deve-se à pandemia causada pelo Covid-19 que resultou em grandes prejuízos coletivos e cuja origem tem relação íntima com as questões ambientais.

A dificuldade maior de emplacar pautas ambientais decorre, dentre outros fatores, da falsa ideia de que preservação de meio ambiente e sustentabilidade impedem desenvolvimento e crescimento de um povo. Ou porque a cidade tem problemas mais urgentes do que ‘árvores’.

Essas ideias tornam a pauta ambiental impopular para ser colocada em propostas eleitorais e por isso elas acabavam de fora nas propostas de governo ou sem o devido destaque. E Guarulhos? Como os prefeituráveis pensam o meio ambiente em seus planos de governo?

É compreensível a pouca fé nas propostas de governo porque há inúmeros exemplos de como elas se tornam promessas não cumpridas, mas ao menos é um documento que revela a forma de pensar a gestão das cidades.

Candidatos em Guarulhos e o meio ambiente

A candidata do PL, Adriana Afonso defende a vinculação os planos de desenvolvimento da cidade integrando-os com o do meio ambiente e trata do assunto indiretamente e outras pautas e indiretamente a pauta ambiental fica nos assuntos de habitação, saúde e saneamento.

Eduardo Barreto do PROS fala especialmente para a questão do lixo, recicláveis, aspectos urbanos da cidade e providências gerais de proteção e manutenção de áreas verdes.

O candidato Elói Pietá do PT volta-se para vigilância ambiental, proteção animal, questões de habitação compatíveis com o meio ambiente, proteção e fiscalização de áreas verdes, energias alternativas e fomento de agroecologia.

A empresária Fran Corrêa do PSDB se volta para coleta seletiva, lixo, melhor acessibilidade na cidade, desenvolvimento do ambiente urbano, código ambiental de Guarulhos, proteção animal e ampliação, fiscalização e manutenção de áreas verdes.

O atual prefeito e pretendente à reeleição, Guti do PSD aborda de forma indireta na melhora da qualidade de vida dos munícipes, de segurança alimentar, economia criativa e o desenvolvimento de micro e macro bacias hidrográficas; descarte de recicláveis. 

Até o momento, não consta no site do TSE o plano de governo do candidato Jovino Cândido do PV. Em entrevista ao Guarulhos Online quando questionado sobre pautas ambientais, informa que precisa de integração de poderes e bom relacionamento com municípios vizinhos.

Ele aponta este como um caminho para a boa mobilidade da cidade e repetição de projetos sobre resíduos implantados em seu governo anterior contribuindo para diminuição de alagamentos.

A professora e advogada Sandra Santos do PDT visa criação de fiscalização, proteção e desenvolvimento de recuperação de mananciais, programas de reciclagem, compostagem. 

O professor Auriel do PC do B pretende implementar o emprego verde (empregos q ajudam na restauração e conservação do meio ambiente, promoção de cultura sustentável quanto ao cuidado com lixo e  meio ambiente, compostagem, biogás a partir de resíduo. 

Rodrigo Tavares do PRTB pretende criar mecanismos proteção e saúde animal, manutenção de parques, defesa do horto florestal e zoológico.

A professora Simone Carleto do PSOL pensa num projeto ecossocialista de cidade de forma que se gere transformação social apta a preservar recursos naturais e melhor promover sua distribuição entre os guarulhenses, reestruturação da secretaria do meio ambiente, zoneamento ecológico e monitoramento de mudanças climáticas. 

E o candidato Wagner Freitas do PTB volta seu foco para a fiscalização, prevenção e conservação ambiental, manejo de áreas contaminadas, revisão do plano diretor e promoção da educação ambiental. 

Em entrevista ao GO menciona a criação de usina inteligente para o processamento de lixo e produção de energia. Onze candidatos! Mas a força da onda verde depende também dos eleitores ao votarem e os cobrarem o compromisso dos candidatos com seus planos de governo.    

*Natália Teixeira Dias é advogada, graduada pelas Faculdades Integradas de Guarulhos, especialista em Direito do Trabalho e Processo do Trabalho pela Escola Paulista de Direito e especializanda em Direito e gestão do Meio Ambiente SENAC.