Artrose: O impacto negativo da pandemia nos tratamentos da doença

Foto: RUN 4 FFWPU/Pexels

Distanciamento social pode gerar piora nos casos de pacientes com artrose; especialistas recomendam a continuação do tratamento online

A Artrose é um processo de desgaste das articulações, em que ocorre uma degeneração progressiva da cartilagem que recobre as extremidades ósseas, podendo ser descrita também como osteoartrite ou osteoartrose. Ela pode evoluir para deformidades e comprometimento da função; É muito comum ocorrer nas mãos, coluna e quadris, mas principalmente nos joelhos.

É uma das principais causas de prejuízo na qualidade de vida das pessoas, em especial dos idosos, que são os mais acometidos por ela devido ao processo de desgaste natural das articulações, que faz parte do envelhecimento. Geralmente a partir dos 65 anos a pessoa já começa a apresentar sinais.

Idosos são mais prejudicados

O principal sintoma da artrose é a dor e as crises são intensas, o que limita muito a vida e as atividades do dia a dia da pessoa, como subir escadas ou fazer caminhadas, trazendo também limitações no trabalho, alterações no humor, entre outros.

Nos idosos, estes prejuízos são ainda maiores, pois eles sentem o impacto diretamente nas pequenas coisas que compõe seu dia, como brincar com seus netinhos, caminhar até a igreja, ir ao mercado, fazer sua caminhada diária, enfim, tudo isso torna-se muito limitado ou deixa de ser feito.

A pandemia e o impacto no tratamento da artrose

Com a pandemia, as pessoas que sofrem de artrose, principalmente os idosos, que foram os primeiros a adentrar diretamente nos grupos de risco, foram muito prejudicados, uma vez que tiveram que abandonar seus tratamentos que são fundamentais para o controle da dor e melhora da funcionalidade.

Com o isolamento social, o paciente idoso dentro de casa ficou mais imóvel, passou a caminhar bem menos e sem acesso aos espaços de fisioterapia, as clínicas de Pilates, e as academias de hidroginástica, apresentaram uma piora do quadro. Isso acaba aumentando a rigidez sobre a articulação, além de fazer com eles percam muita massa muscular, o que acaba por sobrecarregar ainda mais a articulação em geral, gerando um círculo vicioso de piora da dor. E esse efeito foi muito exacerbado com a pandemia e o isolamento social e ainda que tudo esteja voltando agora ao seu ritmo normal, a gente observa que o idoso continua resistente, por fazer parte da população de risco, muitos ainda não querem se expor” – Esclarece o Dr Samuel Lopes.

O que fazer?

O principal pilar do tratamento da artrose é o controle de peso, o fortalecimento muscular e a atividade física orientada, além dos medicamentos analgésicos e do acompanhamento multidisciplinar.

Durante o período de pandemia e ainda agora, o idoso pode buscar outras meios para manter a qualidade de vida, como sugere o Dr. Samuel Lopes:

“Uma alternativa é buscar os recursos tecnológicos para que os pacientes voltem a se cuidar. Isso pode ser feito através da telemedicina, da orientação profissional através da internet, dos treinos on-line personalizados, da orientação com fisioterapeutas e professores de pilates, ou seja, todos estes são recursos interessantes,  modernos e de fácil acesso para que esses pacientes possam continuar com seus tratamentos, a fim de diminuir o impacto da dor e melhorar a funcionalidade”.