Entenda os benefícios da alimentação saudável para diferentes faixas etárias

Foto: Daria Shevtsova/Pexels

É importante manter uma alimentação saudável em qualquer fase da vida; Alguns alimentos possuem mais benefícios que o imaginados.

Em razão do Dia Mundial da Alimentação, comemorado em 16 de outubro, a Secretaria de Estado de Saúde decidiu reunir orientações de especialistas da área de Nutrição para orientar a população sobre os benefícios que a alimentação saudável pode trazer no dia a dia em diferentes fases da vida, separando recomendações para crianças e adultos.

Neste ano, a celebração criada pela Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura (FAO) leva o tema “Cresça, alimente, sustente. Juntos”. 

Crianças

Para a nutricionista especialista em Terapia Nutricional e diretora técnica do Serviço de Nutrição e Dietética do Hospital Infantil Darcy Vargas, Márcia Viola Reis, é preciso estar atento às rotinas e hábitos domiciliares, já que os pais são os principais modelos para os filhos em relação à alimentação.

“Proporcione um ambiente tranquilo na hora das refeições, sentando-se a mesa e evitando distrações, como televisão ou aparelhos eletrônicos. O ideal é aproveitar o momento para conversas leves e descontraídas em família”, orienta.

Pratos coloridos garantem o consumo de todos os nutrientes necessários para uma alimentação balanceada na fase infantil. Segundo Reis, incluir alimentos de todos os grupos alimentares em porções determinadas também é muito importante.

“Leite e derivados magros, proteínas magras, carboidratos complexos, leguminosas, hortaliças como verduras e legumes, frutas e muita hidratação com água, chás e sucos naturais serão sempre bem vindos”, explica.

Contudo, promover uma alimentação saudável e equilibrada nem sempre é uma tarefa fácil para os pais, já que as crianças são expostas diariamente a produtos processados e ultraprocessados, ricos em gordura, açúcar, sal, aditivos e conservantes, que aumentam as chances de obesidade e o aparecimento da síndrome metabólica na infância e na adolescência.

“Os pais devem incentivar o consumo de hortaliças, frutas e sucos naturais. Envolver a criança na compra e no preparo dos alimentos, criar atividades lúdicas, como jogos e histórias, ou até fazer uma pequena horta no quintal de casa ou na sacada do apartamento”, recomenda a nutricionista.

Adultos

Homens e mulheres na fase adulta também precisam ter uma alimentação balanceada, a fim de manter a qualidade de vida e fortalecer o sistema imunológico.

Os adultos, independente do sexo, cometem os mesmos erros quando se trata da dieta: pulam refeições, permanecendo horas em jejum; optam por refeições rápidas (fast foods), se alimentam rapidamente e priorizam alimentos industrializados.

“Uma alimentação saudável é aquela que garante, principalmente, que seu organismo esteja recebendo todos os nutrientes de que ele precisa. Para ter uma alimentação realmente saudável, é preciso pensar em variedade, equilíbrio, quantidade e na segurança dos alimentos que estão sendo ingeridos”, explica a nutróloga do Hospital ‘Dr. Euryclides de Jesus Zerbini’, Ana Paula Abate.

Além desses pontos em comum, há situações a serem observadas com mais cautela tanto por homens quanto por mulheres.

Homens

Também de acordo com Abate, em geral, é na fase adulta que os homens começam a se preocupar com a saúde do coração, pois a suscetibilidade de doenças cardiovasculares é maior neste período devido ao grande estresse do dia a dia aliada à alimentação inadequada e sedentarismo.

“O consumo de alimentos ricos em antocianinas, que se caracterizam pela cor arroxeada (uva, jabuticaba, morango, cereja, ameixa, açaí, beterraba berinjela) é fundamental para a proteção do coração, pois são altamente antioxidantes e anti-inflamatórios”, explica.

Outro eixo de cuidado do público masculino adulto é a impotência sexual. Alimentos como frutas vermelhas, castanhas e abacates são excelentes opções para quem está com falta de desejo sexual ou disfunção erétil.

“Já alimentos como farinha branca, frituras e bebida alcoólica são considerados vilões para quem quer melhorar esse desempenho”, complementa a nutróloga.

Mulheres

A alimentação de uma mulher deve levar em consideração as fases da vida devido às  alterações hormonais e fisiológicas no corpo feminino, conforme indica a nutricionista Clínica e Ambulatorial do Hospital Pérola Byington, Marcia Regina Eichhorn.

Na fase reprodutiva, as principais queixas das mulheres estão ligadas aos sintomas causados pela Tensão Pré-Menstrual (TPM).

Alimentos ricos em vitamina B, como cereais integrais, nozes, feijão e ovos, podem ajudar na ansiedade e na irritabilidade das mulheres. Já uma dieta rica em vitamina B6 (lentilha, banana, arroz integral), vitamina E (sementes de girassol, gergelim e abóbora) e vitamina A (cenoura, couve, gema de ovo e leite) podem amenizar a retenção de líquidos, dor nas mamas e distensão abdominal.

“Outra fase muito importante é o período de gestação, pois reflete nas condições de saúde do feto. As futuras mamães devem ser estimuladas a reavaliar suas rotinas alimentares, visando uma dieta saudável e equilibrada para elas e para os bebês”, afirma a nutricionista.

Alimentos ricos em ácido fólico, como espinafre e brócolis, ajudam na formação do sistema nervoso do bebê. As proteínas, encontradas em carnes magras e leguminosas, auxiliam na formação de tecidos e músculos corporais. Já a Vitamina D, obtida através da exposição ao sol, ajuda a reduzir aborto e promove o crescimento saudável da placenta.