Festival de cinema mostra 15 animações para maratonar no fim de semana

Foto: Reprodução

Takorama Brasil disponibiliza filmes sobre tolerância, empatia, amizade, ecologia e cidadania

Curtas metragens do calibre de “Meu Estranho Avô”, da diretora russa Dina Velikovskaya, “O Emprego”, do argentino Santiago Bou Grasso e “O Complexo do Porco-espinho”, da francesa LISAA, são algumas das animações que poderão ser assistidas gratuitamente de casa, durante o final de semana.

As exibições fazem parte do Takorama Brasil – Festival Internacional de Cinema, que segue com uma programação inédita até o dia 28 de outubro. Os filmes que costumam ser sucesso entre as crianças, também poderão ser vistos pelos adultos fãs desse tipo de produção, através do site do festival.

O objetivo do festival é levar o cinema para as casas das pessoas durante esse momento de isolamento e também conectar a sétima arte com a educação, os pais e professores, permitindo que as crianças e os jovens descubram novos filmes, novas histórias e novos universos visuais.

Além disso, a plataforma do festival oferece um material pedagógico para cada filme a serviço das famílias e educadores, que podem questionar os filmes e desenvolver atividades educativas junto com as crianças. Os professores podem participar do festival com sua turma e incluir uma experiência lúdica e inovadora nas atividades escolares.

A programação de filmes traz abordagens sobre tolerância, empatia, amizade, ecologia e cidadania.

PROGRAMAÇÃO

  • O Edifício, de Tomoyoshi Joko (Japão, 2018), que aborda o tema de respeitar as diferenças e a conviver com respeito a partir da história de um grande edifício que salva pequenas casas de uma inundação;
  • Olá, de Julio Cesar Velazquez (Argentina, 2014), que apresenta adoráveis personagens em formas geométricas aprendendo a se conhecer;
  • O Melhor Brinquedo, de Gabriel Lin (EUA, 2014), que traz uma corrida, perdida de antemão, onde um menino tentará transformar o seu brinquedo para fazer com que pareça o mais tecnológico dos brinquedos;
  • O Tubarão do Aquário, de Ashley Farlow (EUA, 2014), que conta a história de um pobre tubarão em seu aquário pequeno;
  • O Complexo do Porco-espinho, de LISAA (França, 2013), que traz uma história para refletir sobre o bullying, o sentimento de rejeição, falta de autoconfiança e as tribulações de uma jovem ouriço;
  • Você Parece Assustador, de Xiya Lan (EUA, 2016), que mostra à tona emoções comuns para as crianças, como por exemplo rir de medo do dentista;
  • Iguais, de D.M.Lara & R.C.Mendez (Espanha, 2016) que em uma sociedade conformista e uniforme, um pai tenta colocar o seu filho no caminho certo e leva a questionar se é mesmo o melhor caminho;
  • O Cão Só, de Mike A. Smith (EUA, 2014), que faz uma homenagem aos desenhos animados dos anos 1940 sobre o sonho de um cachorro em sair de casa;
  • Meu Estranho Avô, de Dina Velikovskaya (Rússia, 2011), que exibe uma amizade entre uma menina e o seu avô excêntrico;
  • Vagamundo, de Pedro Ivo Carvalho (Dinamarca, 2014), retratando a história de um jovem que para salvar o seu cachorro, embarca em uma busca frenética em um mundo distópico;
  • Aparência e Realidade, de E.Rogova & Z. Pavlenho (EUA, 2014), contando uma pequena história sobre os sentimentos que mostramos ou escondemos;
  • O Macaco Homem, de J.Tereso & F.Maldonado (Argentina, 2012), que conta história de um macaco muito inteligente, lutando contra o desmatamento da floresta amazônica;
  • O Emprego, de Santiago Bou Grasso (Argentina, 2008), trazendo uma sátira com homens alienados e reduzidos a mero objetos;
  • Sr. COK, de Franck Dion (França, 2014),que em busca de eficiência e lucro, o Sr. Cok fabrica bombas e decide substituir seus trabalhadores por robôs.

SERVIÇO

Takorama Brasil – Festival Internacional de Cinema

Acesso gratuito e ilimitado através do site do festival

Classificação indicativa: 3 à 17 anos