16.2 C
Guarulhos
dom, 26 set 2021

João Doria (PSDB) defende pela primeira vez, impeachment de Bolsonaro

O Presidente esteve na Av. Paulista nesta terça-feira (07) e em discurso aos apoiadores ameaçou a democracia, os Ministros do STF e disse que só Deus o tira do poder

O Governador de São Paulo, João Doria (PSDB) se posicionou pela primeira vez, a favor do impeachment do Presidente Jair Bolsonaro (sem partido). A declaração foi dada nesta terça-feira (07) em uma coletiva para jornalistas na sede do Copom na Capital Paulista.

Para João Doria, o PSDB deve perfilar como partido de oposição e deixar a posição de neutralidade que adotou até hoje. O Governador reconheceu que até hoje, nunca havia feito nenhuma manifestação pró-impeachment.

Segundo Doria, por acreditar que até aqui, os fatos deveriam ser avaliados e julgados pelo Congresso Nacional. No entanto, admitiu que Bolsonaro deve responder pelos crimes que cometeu através dos inúmeros processos de impeachment que estão na mesa da Câmara Federal.

“Ele claramente afronta a constituição, ele desafia a democracia e empareda a Suprema Corte brasileira, (…) portanto, minha posição como governador é clara e amparada no direito e na constituição, o Presidente precisa sofrer o julgamento, pelos equívocos, pelos erros e pelo afrontamento à democracia,” pontuou Doria.

Doria e o Procurador-Geral de Justiça, Mário Sarrubbo, acompanharam a movimentação das manifestações em São Paulo no Centro de Operações da PM. Um esquema especial de policiamento foi organizado pela Secretaria de Segurança Pública para atos neste feriado da Independência do Brasil.

Cerca de 04 mil policiais militares atuam na Avenida Paulista e no Vale do Anhangabaú na segurança dos protestos contra e a favor do presidente da República. Além de garantir o controle da ordem na região e a fluidez do trânsito no entorno das vias bloqueadas.

O protesto da Paulista reuniu um número maior de manifestantes desde cedo, à tarde, o Presidente Jair Bolsonaro fez um discurso aos apoiadores de verde e amarelo. No protesto, Bolsonaro ameaçou a democracia, os Ministros do STF e voltou a falar de fraude nas eleições.

VEJA TAMBÉM

REDES SOCIAIS

28,959FãsCurtir
5,062SeguidoresSeguir
2,750InscritosInscrever
- PUBLICIDADE -

ÚLTIMAS NOTÍCIAS