Roberto Dias sai preso da CPI da Pandemia por determinação do Senador Omar Aziz (PSD)

Foto: Pedro França/Agência Senado

O ex-diretor de logística do Ministério da Saúde negou a existência de pedido de propina de um dólar por dose de vacina da Covid-19

A CPI da Pandemia terminou no fim da tarde desta quarta-feira (07) com a determinação da prisão de Roberto Ferreira Dias, ex-diretor do Departamento de Logística do Ministério da Saúde pelo Presidente da Comissão, Senador Omar Aziz (PSD).

Dias é suspeito de pedir propina de US$ 1,00 dólar por dose de vacina, durante a negociação de 400 milhões de doses da AstraZeneca. Mas, à comissão, ele afirmou que nunca pediu propina, mas segundo Aziz e outros senadores ele mentiu à CPI.

Áudios revelaram que havia ligação direta de Roberto Dias com a negociação desses imunizantes no Ministério da Saúde. Ele, porém, negou qualquer envolvimento com irregularidades.

Senadores aliados de Bolsonaro acusaram o presidente da comissão de arbitrário, porém Aziz não recuou da decisão. A advogada de Dias tentou, já próximo do fim da sessão que, ele não respondesse mais as perguntas.

*Em construção