Covid-19: Vacinação em Guarulhos depende de liberação de doses pelo Estado, diz Prefeitura

Foto: Michel Wakin/Guarulhos Online

A previsão é que vacina contra a Covid-19 chegue ao município nesta terça-feira (19)

Apesar do anúncio do ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, de que o início da vacinação em todo o país começaria ainda na tarde desta segunda-feira (18), data em que o ministério começou a distribuir as doses para os 26 estados brasileiros mais o Distrito Federal, Guarulhos ainda não recebeu nenhuma dose da CoronaVac.

A previsão é que o Governo do Estado libere a vacina contra a Covid-19 para os municípios nesta terça-feira (19). A Prefeitura de Guarulhos informou que até o momento “ainda não recebeu nenhum lote do imunizante” e que o início da vacinação depende da liberação de doses pelo Estado.

A Secretaria Municipal da Saúde ainda não recebeu informações sobre quantas doses deverão ser destinadas a Guarulhos.

O município irá seguir um plano próprio de imunização, diferentemente do que anunciou o Governo do Estado, a cidade não utilizará as Unidades Básicas de Saúde (UBS), e sim grandes polos simultâneos de vacinação.

O que diz a Prefeitura sobre a vacinação

“A decisão de não vacinar nas UBS neste momento leva em conta o alto potencial de transmissibilidade da Covid-19, bem como o grande aumento verificado, desde a primeira semana de janeiro, de pessoas com sintomas suspeitos do novo coronavírus nos serviços de saúde, evitando, dessa forma, a possibilidade de infecção cruzada.

Além disso, como o município ainda não sabe a quantidade de vacina que irá receber, haveria a necessidade de se estabelecer cotas para aAs unidades caso as doses sejam insuficientes e a vacinação seja realizada nas UBS, fator que a Prefeitura considera negativo.

Em contrapartida, a realização da campanha em grandes polos dotados de toda a infraestrutura vai viabilizar maior fluidez do público-alvo, evitar aglomeração nos serviços de saúde, além de concentrar recursos humanos e materiais para otimizar o processo logístico de imunização em massa. Por isso, pela estratégia municipal, as UBS ficarão responsáveis pela vacinação dos profissionais de saúde, bem como dos idosos acamados e restritos ao leito”.