Doria acusa Ministério da Saúde de boicotar entrega das vacinas da Pfizer ao Estado de SP

Foto: Governo do Estado de São Paulo

De acordo com o governador, São Paulo recebeu somente 50% do total esperado dos imunizantes, deixando de adquirir pelo menos 228 mil doses; vacinação de crianças e adolescentes pode ser impactada

Na terça-feira (03), o Estado de São Paulo recebeu metade do total esperado das vacinas da Pfizer, enviadas pelo Ministério da Saúde. A informação foi anunciada pelo governador João Doria (PSDB), em coletiva realizada nesta quarta-feira (04), no Palácio dos Bandeirantes.

Desde o início da campanha de imunização contra Covid-19, São Paulo recebe mais de 20% do quantitativo de doses encaminhado em cada um dos envios do Governo Federal aos Estados. No entanto, de acordo com o governo estadual, pelo menos 228 mil doses da vacina da Pfizer não foram repassadas pelo Ministério.

Com isso, Doria afirmou que a vacinação de crianças e adolescentes pode ser comprometida. Ainda nesta manhã, o governo estadual encaminhou um ofício ao Ministério da Saúde questionando o motivo de São Paulo ter recebido menos vacinas.

“Espero que o ministro da Saúde cumpra seu papel como ministro, como cidadão, como médico, e autorize imediatamente a entrega das 228 mil doses faltantes da vacina da Pfizer para o governo do Estado de São Paulo distribuir aos municípios”, afirmou Doria.

Conforme o coordenador executivo do Centro de Contingência Covid-19, João Gabardo, o atraso é preocupante porque a flexibilização das medidas restritivas também depende do cumprimento do cronograma de imunização.

“Espero que isso tenha sido um engano do Ministério da Saúde, que possa ser corrigido e que possa ser, o mais rápido possível, enviado para o Estado de São Paulo”, disse Gabardo.