Governo Federal deixa remédios e vacinas passarem da validade em Galpão em Guarulhos

Foto: Evaristo Sa/AFP

Os materiais estavam estocados no centro de distribuição do Ministério da Saúde, no Taboão e serão incinerados; prejuízo estimado é de R$ 240 milhões

O Governo Federal deixou vencer a validade de 3,7 milhões de itens, entre medicamentos, testes de diagnóstico, vacinas, entre outros. Esses materiais estavam estocados no centro de distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos. O prejuízo é estimado no valor de R$ 240 milhões.

As informações foram levantadas pela reportagem do jornal Folha de São Paulo, que teve acesso a tabelas do Ministério com dados sobre os itens. Todos esses materiais deverão ser incinerados.

Entre os produtos vencidos estão 820 mil canetas de insulina, totalizando R$ 10 milhões, que poderiam ter sido utilizados em cerca de 235 mil pacientes com diabetes por um mês. Também foram perdidas 12 milhões de vacinas para gripe, hepatite B, entre outras doenças, no valor de R$ 50 milhões.

Os itens seriam empenhados na cobertura de atendimento aos pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) com hepatite C, câncer, Parkinson, Alzheimer, tuberculose, doenças raras, esquizofrenia, artrite reumatoide, transplantados e problemas renais, entre outras situações, conforme aponta a reportagem.

Além disso, o Ministério da Saúde, sob gestão do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), manteve em estoque testes de diagnóstico para DST/Aids vencidos, além de materiais para prevenção da malária.

Parte dos itens agora sem serventia estão em falta nos postos de saúde nos municípios do país.

*Com informações da Folha de S. Paulo