SP começa a distribuir segundo lote da coronavac aprovado pela Anvisa

Foto: Divulgação/Governo de SP

As 900 mil doses envasadas no Instituto Butantan e fazem parte do lote de 4,1 milhões de doses aprovados pela Agência

Cerca de 900 mil doses foram imediatamente liberadas para o Ministério da Saúde após autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para uso emergencial do imunizante. João Doria acompanhou na tarde desta sexta-feira (22) o início da distribuição.

Desse total, 200 mil doses foram levadas ao Centro de Distribuição e Logística da Secretaria da Saúde de São Paulo. Outras 700 mil vão para a central de distribuição do Ministério da Saúde, em Guarulhos, na Região Metropolitana de São Paulo.

As demais doses envasadas, rotuladas e embaladas no Butantan a partir de matéria-prima enviada da China e serão liberadas tão logo passem pela inspeção de controle de qualidade do instituto.

Coronavac

No último domingo (17), o Butantan distribuiu 6 milhões de doses da vacina desenvolvida em parceria com a biofarmacêutica Sinovac Life Science. Com a segunda remessa, agora são 6,9 milhões de um total de 8,7 milhões de doses estabelecidas em cronograma firmado com o Ministério da Saúde para entrega até 31 de janeiro.

Até abril, o Butantan aponta que entregará 46 milhões de vacinas contra o coronavírus para todo o país. Com o registro emergencial desta sexta, o Butantan não precisa de nova autorização da Anvisa para uso das 35,2 milhões de unidades que serão envasadas em São Paulo a partir de insumos vindos da China.

O instituto aguarda aval do governo chinês para receber 5,4 mil litros em insumos a granel nas próximas semanas. O atraso se dá, segundo o governo de SP, por causa de burocracia com o governo chinês.

Entretanto, o governador João Doria (PSDB) pediu que o governo federal não atrapalhe as negociações e aja com diplomacia com o país asiático, já que os insumos da vacina de Oxford também provém da China.