Guarulhos está entre as 5 cidades com mais roubos e furtos de veículos

Foto: Marcela Vasconcelos/Guarulhos Online)

Levantamento realizado pela FECAP e Tracker desde janeiro de 2019 aponta diminuição das ocorrências por conta da pandemia


Guarulhos está entre as cinco cidades com mais ocorrências em 2020 e no primeiro trimestre de 2021, junto de São Paulo, Campinas, São Bernardo, Santo André. A capital lidera o ranking e os bairros Sacomã, Ipiranga, Jabaquara, São Mateus e Iguatemi são os mais vulneráveis.

O Boletim Econômico Tracker-FECAP listou os locais onde há mais ocorrências de furtos e roubos de carros no Estado de São Paulo. Os dados foram analisados a partir dos boletins de ocorrência registrados pela Secretaria de Segurança Pública do Estado de São Paulo.

Quando se trata de roubos, os endereços mais perigosos de SP são destes bairros são Av. Almirante Delamare, Rua das Juntas Provisórias e regiões próximas, Av. Engenheiro Arruda Pereira, Av. Aricanduva e Av. Ragueb Chohfi.

Os modelos e marcas mais visados pelos bandidos são o Onix e o HB20 na categoria automóveis; a Fiorino e o HR na categoria caminhonetes; o Renagade, Compass e Duster na categoria camionetas; e os utilitários Tiguan, Q3 e Hilux.

Entre os modelos de automóveis mais furtados estão o Corsa, o Mobi e o HB20. Já entre as caminhonetes, aparecem a Saveiro, Fiorino e Montana. Na categoria camionetas, as mais visadas são a Kombi, Tucson e Ecosport. Hilux e Tiguan lideram a lista dos utilitários mais visados pelos criminosos.

Estudo

Segundo dados do Boletim Econômico Tracker-FECAP, ao todo, foram registradas 58 mil ocorrências de roubo no Estado, de janeiro de 2019 a março de 2021, sendo 33 mil em 2019, 20 mil no ano passado e 5 mil no primeiro trimestre de 2021.

No mesmo período, ocorreram aproximadamente 129 mil furtos: 67,8 mil em 2019, 47,6 mil no ano passado e 13 mil somente nos três primeiros meses de 2021. A pandemia de Covid-19 é a grande responsável pela redução de ocorrências de roubos e furtos de automóveis no Estado de São Paulo.

Uma análise minuciosa da evolução das ocorrências, de janeiro de 2019 a março de 2021, revelou que a pandemia provocou a queda da criminalidade: os roubos caíram 39,4% e os furtos 29,8% em 2020, na comparação com o ano anterior.

No entanto, nos últimos 15 meses, os furtos cresceram de proporção, em relação aos roubos. O coordenador do estudo e professor do Departamento de Pesquisas em Economia do Crime da Fundação Escola de Comércio Álvares Penteado (FECAP), Erivaldo Costa Vieira, considera três os motivos principais para a queda na criminalidade.

“A diminuição de carros nas ruas reduziu a oferta/oportunidade para a indústria do crime. A menor circulação reduziu também o número de acidentes, fazendo cair a demanda por peças e acessórios, principal motivador econômico para o roubo de automóveis e que abastece os desmanches. Soma-se a isso a queda da renda da população e a consequente queda no número de novos veículos nas vias.”, analisa.

Ainda segundo o economista, “os furtos registraram uma frequência cerca de 2,2 vezes maior que os casos de roubos. Os delitos cresceram quando as pessoas passaram a se expor mais. O aumento do movimento de ir e vir do trabalho, das compras, do lazer, é acompanhado pelo aumento dos furtos de carros”.